segunda-feira, 17 de julho de 2017

VÍDEO MOSTRA PAIS ENSINANDO MASTURBAÇÃO A FILHOS DE 10 ANOS

Um vídeo divulgado recentemente no canal do Youtube “WatchCut Video” com o nome de “Pais explicam masturbação”, no qual pais e filhos, que tem em média dez anos, aparecem sentados em um sofá e conversando sobre masturbação tem causado polêmica. O conteúdo da produção está dando o que falar nas redes sociais por mostrar os pais explicando o que é a prática e dando dicas de como as crianças podem se masturbar. 


vídeo faz parte de uma série de vídeos curtos intitulada “Pais Explicam”, que mostra os pais conversando com os filhos temas como sexo, existência do Papai Noel, menstruação e polícia. No conteúdo em questão, os adultos dão dicas para as crianças e usam objetos sexuais como um vibrador em formato de pênis para explicar qual a forma correta de se masturbar.

Não acho cedo para ensinar a masturbação e forma correta de se fazer. Na minha infância, convivi com amigos que usavam cabo de vassoura como “brinquedo erótico” e até mesmo frasco de desodorante, podendo assim causar um grave acidente. E quem não vê esses casos de pessoas que enfiam “coisas” estranhas dentro de si mesmo? Quando se trata de um adulto, eu considero fetiche, mas sendo crianças, tem mesmo que dar uma atenção maior sobre o assunto.

Na produção, os pais contam quando começaram a se masturbar e compartilham experiências que já viveram. Além disso, eles incentivam as crianças a manipular os brinquedinhos sexuais, explicam qual a melhor forma de usá-los e ainda perguntam se elas já se tocaram. Os adultos também orientam as crianças a sempre fazerem isso quando estiverem sozinhas e em um ambiente reservado.

Eu apoio a atitude destes pais, pois os meus nunca conversaram sobre sexo e masturbação comigo. Ou seja, aos 17 anos eu tinha dúvida se mulheres mijavam pela vagina ou ânus (olha a inocência). Descobri a masturbação aos 13 anos, e foi estranho, pois não sabia que aquele líquido branco que saía era o esperma e menos ainda que aquilo engravidava alguém. A inocência era tanta, que eu acreditava que poderia contrair HIV através da masturbação  (dependendo da criança, aos 9 anos de idade já começam a fase de descoberta do corpo e a prática da masturbação). 


O conteúdo do vídeo desagradou a maioria dos internautas, mas vamos combinar que crianças de hoje em dia estão iniciando suas vidas sexuais muito mais cedo do que crianças da minha época (sou da década de 80). Não é à toa que se vê hoje em dia crianças com 14 ou 15 anos de idade que se tornaram pai.




Leia Mais ►

sexta-feira, 14 de julho de 2017

ESTUDANTE ACUSA POLICIAL CIVIL DE AGRESSÃO MOTIVADA POR HOMOFOBIA EM NITERÓI

O calouro de artes na UFF, Andrei Apolonio dos Santos, 23, denunciou na tarde desta sexta-feira (14) agressões motivadas por LGBTfobia de um agente de segurança pública em plantão na unidade da Polícia Civil em Itaipu, região oceânica de Niterói.

O caso foi levado à Corregedoria Interna da Polícia Civil (COINPOL) na noite desta quinta-feira (13), onde a delegada de plantão, Viviane Batista, determinou o registro da ocorrência e o encaminhou a exame de corpo de delito. A assessoria da COINPOL informou que está previsto para a próxima segunda-feira (17) a realização do auto de reconhecimento dos policiais acusados da agressão.

As Comissões de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Niterói e da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) estão acompanhando o caso de Andrei, e oferecendo suporte à vítima no decorrer do processo.

“Eu quero justiça, eu quero que a pessoa que fez isso veja o quão marginal e animalesca ela foi. Ele deve pagar por isso”, disse o estudante.

Andrei conta que comemorava o fim do primeiro período na Universidade Federal Fluminense com amigos na última quarta-feira (12), e no percurso de volta para casa adormeceu no ônibus e quando acordou, por volta de 4h da manhã, se deu conta de que seu celular havia sido furtado. Em seguida, ainda de acordo com o estudante, se dirigiu a 81ª DP de Itaipu para fazer o registro de ocorrência, quando foi agredido verbalmente e fisicamente pelo policial de plantão na madrugada de quinta.

O estudante alega ter sido arrastado para dentro da delegacia, ao mesmo tempo em que era humilhado por sua orientação sexual, e após tentativa de fuga, fora novamente agredido fisicamente até perder três dentes. 

“Eu entrei em um lugar para fazer um Boletim de Ocorrência sem nenhum arranhão e sai aos cacos e sem o registro. Mas estou bem, podia estar pior”, disse Andrei que lembra que sofreu ameaça de morte, caso denunciasse o caso. "Ele disse que da mesma forma que fez o que fez, podia 'descarregar um pente' em mim", completou. 

As Comissões de Direitos Humanos que estão acompanhando o caso de Andrei denunciam, principalmente, a violação de direitos pelo Estado: “tortura em cárcere privado em uma unidade do estado praticada por um agente de segurança pública contra um cidadão que só queria registrar uma queixa”, disse Benny Briolly, assessora parlamentar transsexual, que cuida da pauta LGBT no gabinete da vereadora de Niterói Talíria Petrone (PSOL).

“Eu estava vivendo o melhor momento da minha vida até acontecer isso. Mas isso não é um ponto final, é apenas uma vírgula”, disse o estudante, que ressalta que ainda sente medo, porém não pretende ficar deprimido, e sim levar a denúncia até o fim.

“O meu sentimento é de me fortalecer, eu estou me mantendo muito confiante, e tentando sobreviver. Eu preciso, a partir de agora, resguardar a minha vida, e a vida dos meus familiares e amigos que amo e não quero colocar em risco. O que me incomoda é que de certa forma eu dependo de outros policiais para julgar o meu caso”, acrescentou.

O trauma vivido por Andrei está longe de ser uma exceção: segundo dados do programa Rio Sem Homofobia, do governo do estado, nos últimos dois anos, 732 gays, lésbicas, travestis e transexuais procuraram atendimento no Centro de Cidadania LGBT Leste, que funciona no Ingá e atende vítimas de violência de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá. O número total no período traduz a média de um caso registrado por dia. Já no Brasil, um assassinato é cometido a cada 25 horas motivado por LGBTfobia.

Benny Briolly conta que lida cotidianamente com essa estatística. E acrescenta que "o caso do Andrei traz a realidade de que um agente do estado, que deveria colaborar para o exercício da segurança, se torna autor de um crime que poderia levar essa pessoa até a morte”.

“Quando o agente agride sem dó e se diverte através dessa violência, ele reproduz o posicionamento ideológico dele contra a população LGBT como algo que não deveria existir. E essa é uma luta que a gente trava contra o modelo de sociedade conservador. Agora, contra o estado não é cabível, porque a função dele é zelar pela segurança da população como todo”, completou Benny, finalizando: “Eu não sei, se eu estivesse no lugar dele, se eu teria essa força para lutar do jeito que ele está lutando”.

Hoje em dia quem diz “não gostar de polícia” é visto como um bandido, quando na verdade não sabemos até que ponto podemos confiar e entregar nossa segurança nas mãos daqueles que nem sempre estão do lado da lei.

Até quando iremos conviver com essas indiferenças por sermos gays ou negros? Acho que todo o tipo de preconceito deveria ter acabado faz tempo, principalmente o racismo! Ainda mais aqui no Brasil, país onde todos somos descendentes de índios ou escravos. 

Há uns dois anos atrás eu pensei em entrar para a polícia. Motivo: não sofrer preconceito e discriminação por causa da minha cor. Eu acreditava que me tornando uma autoridade eu seria de certa forma “respeitado obrigatoriamente” e poderia aplicar a justiça como ela deve ser feita, defender quem realmente precisa. Mas alguns me aconselharam a permanecer na prostituição, onde me rendeu uma vida financeira boa, mas não aquele respeito que eu sempre quis ter.

#ForçaAndrei

Leia Mais ►

segunda-feira, 26 de junho de 2017

INSEGURANÇA E BAIXA AUTOESTIMA

Eu acho muito importante uma família unida se juntar para criar uma autoestima para seus filhos. Isso agrega muito em confiança e ajuda a construir o caráter deles. Infelizmente foi exatamente o que eu não tive na vida, me tornando hoje alguém com a autoestima baixa e muito inseguro.  

Quando tinha meus 7 anos de idade, perguntei a minha mãe o que ela queria que eu fosse quando crescer. A resposta foi rápida:

 – Você vai ser o que você quiser e o que te faça feliz! - Até aí tudo bem. Ela apenas queria que eu seguisse meu sonho independente do que ela quisesse para meu futuro.  Só não imaginei que frases negativas de pessoas próximas iriam me fazer tanto mal futuramente. 

Quando tinha meus 13 anos de idade, lembro de pessoas da minha família me comparando com meus amigos:

 Seus amigos têm a mesma idade que você e já trabalham. Tá na hora de você fazer o mesmo! - Nunca achei uma forma correta usar a vida de outro para fazer comparações. Isso não é incentivo, e sim, maldade e uma grande colaboração para que nos faça sentir sempre inferior aos outros.

Ainda com 13 anos, ouvia me dizer:

 Você vai morar na rua! Não trabalha e tá achando que depois que nossa mãe morrer você vai morar comigo? Ninguém vai te querer, vai se tornar um mendigo na vida! Tudo o que foi dito aconteceu. Como relato em meu livro, morei na rua e virei mendigo. Hoje, por ironia do destino, sustentei por muito tempo esta mesma pessoa que me humilhou lhe dando dinheiro, pagando suas contas e colocando comida em sua mesa.

Abaixo um vídeo muito fofo e importante que me comoveu. Nele, um homem negro coloca sua filha pequena em frente ao espelho e lhe diz frases de motivação para que ela tenha autoestima. Achei muito importante essa atitude, que me deixa emocionado toda vez que assisto. 


                      





Leia Mais ►

sábado, 24 de junho de 2017

TÔ SOLTEIRO, MAS NÃO SOZINHO!

Depois de quase dois anos de namoro, resolvi dar um basta. Namorei com alguém que me ajudou muito, mas na cama e o convívio era uma porcaria: Não gostava de me beijar, me abraçar, dormir juntos, viajar a passeio, fazer sexo oral, dar pra mim ou me comer. Ele só queria receber sexo oral. Mais nada! Fiquei nesse relacionamento dando o melhor de mim. Pra que serve uma pessoa assim?

Depois de muito desgosto resolvi mandar se FODER, pois percebi que ele não me valorizava em nada. Não foi nem pela falta de sexo, e sim pela falta de respeito que ele andava tendo comigo. Nunca fazia nada comigo, mas com outros (e desconhecidos) ele sempre tinha tempo e até viajava juntos.


Durante a semana fui preparando meu terreno e voltando a viver. Tô cansado de dar moral pra filho da puta. 





Segunda-feira:

Foi justamente nesse dia que dei meu grito de liberdade e resolvi sair à procura de diversão. Com quase dois anos parado, tinha muito desejo a fim de ser libertado.

Terça-feira:

Meu amigo Gogo Boy iria fazer uma apresentação em um cinema pornô e acabou me convidando para assisti-lo. Claro, fui prestigiar seu trabalho. Fim da apresentação e acabei permanecendo no cinema, que por sinal estava cheio. Muita bichinha pão-com-ovo. Não curto, mas respeito. Um se aproxima - sem eu demonstrar interesse - e começa a me alisar. Era passivo, e como eu não estava a fim de ficar com ele, disse ser passivo também, assim ele iria embora.

Conheci um coroa que rolou tanta afinidade que nem gozamos. Saímos do local e fomos numa padaria 24 horas tomar um café e nos conhecermos melhor. Ele tem o costume de ficar me abraçando na rua e isso eu não gosto (nem casal hétero eu acho bonito de se ver). Na padaria ele tentava alisar minha mão - na frente de todos - ou acariciar minha perna. Aí já não rola. Queria alguém que me acaricie, mas não na frente de todos a ponto de podermos ser expulsos.

Quarta-feira:

Sabe aqueles dias que você chora de raiva por ter investido pela milésima vez no relacionamento errado com a pessoa errada? Pois é, foi hoje! Desgosto de ter ficado estes anos com ele!

Quinta-feira:

Voltei ao cinema, estava entediado e fui passar meu tempo. Um rapaz chegou perto de mim dizendo que estava a fim de me dar, mas quando me dei conta estava comendo outras duas pessoas que estavam ao meu lado me alisando.

Sexta-feira:

O combinado era sexo a três. Eu e mais outro rapaz comeria o passivo. Chegou na hora eu quem fui comido. Um dos rapazes era bem mais velho e muito ruim de cama, tadinho. Ele achava que eu tinha boceta, pois enfiava com tudo e acabava me machucando. Eu tentava comer o outro passivo e ele não deixava. Vinha por trás para fazermos um trenzinho e acabava me atrapalhando penetrar o outro. Foi horrível. Todos gozaram, menos eu.

Pior foi quando ele largava a transa pra ficar prestando atenção na novela ou mexendo no celular. Muito sem noção.






Leia Mais ►

quarta-feira, 14 de junho de 2017

SOLIDARIEDADE - ENTREGA POR SP

Sabe o que eu, Jeniffer Lopez, Kelly Clarkson, o cantor Seu Jorge, Halle Berry (a Tempestade de X-Men) e Jim Carrey temos em comum??? Nós já fomos moradores de rua.

Não é todo mundo que tem a oportunidade de mudar de vida como nós mudamos e menos ainda de obter um trabalho ou até mesmo um lugar para morar. Pensando nisso, um grupo de São Paulo chamado Entrega Por SP dedica seu tempo e amor para levar aos moradores de rua produtos para higiene pessoal, alimentos e agasalhos.

Uma atitude nobre de pessoas do bem que, além de doações de cobertores, eles levam palavras de carinho, força e atenção aqueles que moram nas ruas.

Seja voluntário você também!






Leia Mais ►

domingo, 11 de junho de 2017

10 ANOS

Dia 11 de junho de 2007, eu estava saindo de casa atrás de um sonho. Hoje, dez anos depois posso afirmar: eu realizei meu sonho! Hoje faz exatos 10 anos que saí de casa, na cidadezinha do interior de São Paulo chamada Arapeí. Como pode, né? Eu saí de casa com uma bolsa de roupa e hoje construí meu próprio império.



Um orgulho: Tenho orgulho de ter me tornado garoto de programa, pois foi exatamente isso que me trouxe até aqui e fez com que eu mudasse de vida.

Um arrependimento: Acho que nenhum.

Família: Às vezes recebo mensagens de pessoas perguntando se eu tenho contato com pessoas da família. Não, não tenho contato e espero que continue assim. Na época, quando descobriram que eu era garoto de programa eu era motivo de piada, a cidade inteira questionava sobre isso. Eu ainda era visto como a pior pessoa.
Depois que perceberam que eu estava ganhando muito dinheiro começaram a se aproximar por interesse, me bajular e puxar meu saco. Hoje que não preciso de nada, recebo milhões de mensagens de pessoas dizendo que estão com saudades e se preciso de alguma coisa. Quando morei na rua e precisava de ajuda, nenhum deles me estendeu a mão.

Houve uma situação que eu ajudava uma certa pessoa da família, e mesmo  assim ela reclamava e ainda falava mal de mim pelas costas. Eu pagava suas contas, dava dinheiro, mas na cabeça dela era pouco. Acho que esperava que eu desse uma vida de luxo a ela, coisa que nunca faria, pois eu não ganhei meu dinheiro fácil, e quando precisei na época, ela não me ajudou. Até que um dia, minha família toda reunida estavam falando sobre mim, que eu estava aproveitando a vida enquanto outras pessoas da família passavam por dificuldades (e olha que eu já pagava suas contas e dava dinheiro). 

Depois disso mandei todo mundo a merda. Não preciso deles. Teve situações que eu deixei pessoas morando dentro da minha casa e que levava homens sem seu saber, e só depois fui descobrir.

Ah! Eles acessam meu blog. Espero que estejam lendo isso agora.

Estou muito feliz com minha vida, evoluí muito e ainda tenho muito que crescer. Tenho fé e acredito que meu caminho é longo e minha jornada está só começando.


Obrigado a todo mundo que me comeu! Quero dizer que estou aqui graças a vocês. 







Leia Mais ►

quinta-feira, 8 de junho de 2017

CUIDANDO DO MEIO AMBIENTE


Eu sempre fui apaixonado por natureza, florestas e toda a beleza que o planeta terra oferece. Infelizmente com o desmatamento e todas as formas ilegais da extração de madeira, toda essa maravilha pode acabar em breve.

Eu fico feliz em saber que meu livro vem com o selo FSC (Forest Stewardship Council ou Conselho de Manejo Florestal). O selo garante que a matéria prima do produto é proveniente de uma floresta explorada de forma legal, sem trabalho escravo nem trabalho infantil, e com respeito a todos os direitos do trabalhador, inclusive a segurança e saúde, bem como todas as obrigações sociais e tributos.

 O WWF-Brasil defende e apoia ativamente a certificação florestal FSC como um instrumento eficaz para a conservação das florestas. Ou seja, meu livro é ecologicamente correto e respeita o meio ambiente.



Para contribuir ainda mais com as florestas e com o meio ambiente, a cada 50 livros vendidos pretendo plantar uma árvore. 





Leia Mais ►

segunda-feira, 5 de junho de 2017

ROMAGAGA E MC TRANS - TRETA

Quando eu estava numa agência de prostituição no Rio de Janeiro, numa entrevista conversando com o cafetão, ele me deu alguns conselhos sobre a vida de garoto de programa e acabou me dizendo: “Mantenha distância de travestis, pois eles são as piores raças que você vai conhecer. Evite ao máximo manter contato com eles, pois não prestam!”.

Neste dia fiquei chateado, pois tenho amigos que são travestis e naquele momento fui contra este comentário que ele fez.

Nas últimas semanas, quem acompanha a vida de subcelebridades soube da treta que rolou com Romagaga e Mc Trans. Romagaga fez um vídeo afirmando que Mc Trans a ameaçava, tentava ganhar fama as suas custas e roubava seu dinheiro.  Acho que essa confusão acaba caindo de forma negativa, pois só fortalece a imagem de que travesti não presta e que não há amizade entre pessoas do mundo LGBT. Existem travestis maravilhosos e eles acabam ficando com a imagem queimada por conta de confusões que acabam viralizando na internet. Por conta disso, muitos ainda irão dizer que travestis não prestam, ainda mais se continuar a aparecere tretas na web envolvendo travestis. 

Sobre essa treta, eu acredito, pois na época tentaram me dar um golpe de R$ 3,000 mil reais. Por pouco não acreditei na história e dei o dinheiro, mas acabei percebendo a farsa muito antes. Sem contar que Mc Trans veio com um papinho muito suspeito pra cima de mim, se fazendo de vítima e me criticando depois. Ah, tenho um áudio onde posso provar tudo que digo. 
Pelo que percebi, a Mc tem o costume de forjar brigas e cenas do tipo pra ficar em destaque na internet. Típico caso de pessoa que não tem talento e precisa se manifestar de forma negativa pra chamar a atenção e se sentir “famosa”.



Eu gosto e admiro o trabalho de Romagaga. Ela sim tem talento e um futuro promissor!


Leia Mais ►

sexta-feira, 2 de junho de 2017

MINHA VISÃO SOBRE PROSTITUIÇÃO DE LUXO

Hoje, 2 de junho, é o dia internacional da prostituta.

Andei vendo alguns perfis de garotos de programa na web e cheguei conclusão de que aqueles que se anunciam como “garoto de programa de luxo” não faz a menor ideia do que seja isso. É como ser padeiro e não saber assar massa. Trabalham em algo que nem sabe o que é.

Os meninos acham que tendo um rosto bonito, ser malhado e dotado os tornam alguém “de luxo”, alguns ainda tem a coragem de cobrar R$ 50,00 reais e ainda se diz luxo. Aff! Quando você aborda os garotos perguntando que tipo de serviços eles oferecem, nem os mesmos sabem responder. Alguns fazem massagens, outros apenas sexo. Mas cadê o luxo?

Um hotel cinco estrelas tem diárias de R$ 5,000 mil ou até mais, pois eles oferecem um serviço exclusivo aos hóspedes, por isso os hotéis são chamados de hotéis de luxo. Com os garotos são a mesma coisa, e para ser um prostituto de luxo você precisa ser famoso ou oferecer um serviço executivo aos clientes e não apenas cobrar caro pelo serviço. Saber ter educação, atender bem e ser culto. Coisa que nem metade consegue ser. Isso sim é ser luxo. Seria sexo com requinte, sabe?

Por falar nisso, já me esbarrei com muita celebridade que estava fazendo programa em hotéis de luxo. Sem contar que, conheço uma em especial que cobra R$ 15,000 mil de cachê e ainda exige um helicóptero para buscá-la.

No meu caso, como não sou famoso (e mesmo assim clientes me buscam de avião ou helicóptero), eu arcava com algumas despesas e levava meus clientes para passeios ou aproveitar o dia em algum lugar luxuoso.

Trecho do meu livro:


Link do livro: https://www.amazon.com.br/dp/B01HKDK9L4

Desculpe acabar com seus sonhos, mas ser dotado e levar seus clientes pra transar naquele seu quarto com paredes de mofo, não te faz ser um GP de luxo. 

Sorry. 



Leia Mais ►

quinta-feira, 1 de junho de 2017

POBRE MENINO RICO

Outro dia conversando com um dos meus seguidores do Instagram, ele me revelou algo: “Eu achei que você fosse nojento por ser riquinho, mas você é muito legal. Gostei de você!”.

Fiquei feliz por ter gostado de mim, mas espantado por achar que sou chato por ser “rico”.

A pessoa que me vê pela internet conhece mais o meu lado glamouroso onde tomo champanhe, viajo pelo mundo, ando de iate e gasto milhões em roupas. Mas o que eles não sabem é que no meu dia a dia eu faço coisas simples que muitos não acreditam como andar de metrô (coisa que eu amo fazer), comer arroz e feijão que é a coisa mais gostosa do mundo pra mim, adoro refrigerante e tomo quase 2 litros por dia e também compro roupas em Outlet (mas não dispenso a nova coleção), pois as roupas estão bem mais baratas (até o mercado de brechó chique, com as maiores grifes internacionais está crescendo muito no Brasil, só ainda não comprei nestes brechós rs).


Foto do meu Instagram:

Acima eu com 7 anos de idade (pobre) em um ribeirão da cidade de Arapeí. 
Abaixo eu já estou em Angra dos Reis, quase 20 anos depois  (rico)  indo andar de barco.  


Eu quando digo que sou rico, é uma forma de ironizar minha vida antigamente. Pra quem morou na rua e hoje tem um teto, acho que posso sim me considerar rico e vitorioso.  

Tenho amigas que são ricas e gostam de gastar muito dinheiro para fazer bonito para outras pessoas e não por uma realização própria. Se vestem e comem para agradar os outros e não perderem a pose. Isso eu já considero desnecessário e fútil.

Hoje tenho sim condições de gastar e esbanjar com coisas supérfluas todos os dias. Gosto muito do que é bom e tudo o que é bom custa caro, mas faço isso por mim, e não pelos outros. Sou louco por uma mala da Louis Vuitton (uns R$ 40 mil reais), tenho condições de comprar, mas não compro. Pois vai fazer falta, sim! O que eu quero dizer é que minha vida é comum e rico de verdade é a família das Kardashian ou a Paris Hilton. Estas sim são pessoas ricas e que gostam de ostentar.






Leia Mais ►