sábado, 19 de maio de 2012

ANDORINHAS - RELATOS DE GAROTAS DE PROGRAMA





Andorinhas: Sinônimo de "Prostituta de Estrada"


A jornalista e fotógrafa Nana Moraes, vencedora de seis prêmios Abril de Jornalismo, lançou no último dia 4 o livro “Andorinhas”. O projeto reúne imagens e relatos de cinco garotas de programa que conheceu na Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro.


No livro, Nana apresenta imagens em que aplica uma técnica que desenvolve desde 1997, chamada “fototinta”, através da qual adiciona pintura à fotografia. O livro tem 156 páginas e o prefácio foi escrito pelo cineasta brasileiro Walter Salles.


Nana trabalha há 20 anos para os mercados editorial, fonográfico e publicitário. Como fotógrafa, já realizou a individual, “Mulher, Tinta e Fotografia”, e participou de várias exposições coletivas. Entre elas, “Eternal Feminine Plural”, na International Labor Organization, em Genebra.


Nesta terça-feira (15), Nana concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal Photos. Por e-mail, a artista falou mais sobre o projeto Andorinhas e sobre a técnica fototinta. Confira!




PORTAL PHOTOS - Como surgiu a ideia de reunir nesse projeto relatos e imagens de garotas de programa?


NANA MORAES - Há muito tempo estava a procura de um caminho alternativo para meu trabalho. Sentia como se faltasse alguma coisa para que através da fotografia, pudesse realmente contribuir, pudesse deixar para meus filhos e netos mais do que imagens bonitas. Acredito que a arte, também, tenha o papel de instigar e de abrir novos ou velhos debates.


PORTAL PHOTOS - Qual a maior lição que fica depois dessa experiência - como pessoa e como profissional?


NANA MORAES - Aprender a olhar o outro, desvelar a dignidade, seja de quem for, trazer a humanidade a tona dos que lutam por sobrevivência.


PORTAL PHOTOS - E a técnica "Fototinta"? Como a conheceu e como ela é aplicada à fotografia?


NANA MORAES - A “Fototinta” é uma técnica que desenvolvo desde 1997. Nesta técnica, totalmente artesanal, trabalho a tinta colorida sobre a ampliação em preto e branco e depois faço uma nova foto em cor para que a tinta se una a ampliação e tenha um resultado fotográfico.





Minha foto preferida, ao mesmo tempo que é sex chega a ser
uma imagem inocente, me lembra uma Lolita.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto