domingo, 9 de dezembro de 2012

VISCONDE DE MAUÁ: CONHECENDO NOVOS LUGARES


Posso afirmar que chegou a ser o melhor dia de minha vida. Mesmo com o tempo nublado estava muito calor, dava até pra pegar um bronze caso eu fosse ao Rio de Janeiro, como não deu, o jeito foi ficar nesta cidade onde não se tem nada pra fazer. Só de saber disso chega a me dar raiva, saber que vivo 5 anos num lugar onde não se tem pra onde correr. Volta Redonda é a opção da galera aqui da cidade quando estão a fim de diversão e uma boa música, aqui tem uns barzinhos onde se toca música ao vivo, mas quando estão fechados, o jeito é sair da cidade.
A minha sorte é que fui salvo por um camarada que me tirou desta cidade e me levou para conhecer novos lugares, exatamente o que eu estava precisando, conhecer gente e lugares melhores.
Nesse tempo todo morando aqui em Resende, não tive a chance de conhecer Mauá, Capelinha e Maromba e claro, outros lugares aqui da região. Com vontade de sumir daqui, ele me chama para ir a Mauá e me mostrar a cidade, que eu só conhecia pela TV e de ouvir os outros falarem.
Fotos da internet
Comecei a ficar encantado pela subida a caminho de lá, um trajeto que me lembra muito o de Angra dos Reis quando ia com... Ah, deixa pra lá... Mas o trajeto me lembrava muito o caminho, as fazendas e os gados no meio do caminho. Foi mais ou menos 1h30 até chegar lá, paisagem perfeita com um único problema sendo a estrada que chegando em certo ponto, começa a ficar cheia de buraco. Aqui em Resende o tempo estava quente, tanto que tinha saído de casa vestindo uma camiseta, de acordo com que íamos subindo a serra, o tempo ficava fechado, neblina intensa e depois começou a cair o maior temporal, fora ficar com medo de ouvir aqueles estalos dos relâmpagos, foi tudo perfeito. A companhia nem se fala, foi a melhor de todas. Um cara bacana que da primeira vez que fomos sair não deu para ficarmos tão a vontades, pois estávamos de madrugada na rua conversando, aí já viu né? Eu medroso do jeito que sou não consigo me soltar quando sinto medo.
Lá do alto da serra tem um ponto de onde dá pra enxergar Resende bem de longe, pena eu não estar com alguma máquina fotográfica pra registrar o momento, seria ótimo ter além do prazer de ver a vista, ter registrado também.
No que chegamos à primeira coisa que fizemos foi almoçar, estava tarde eram umas 16h00min e eu não tinha almoçado, paramos em um restaurante onde comemos muito bem, eu principalmente. O restaurante se chama Tropeiro

Fotos da internet


Mauá é um lugar onde recebe várias visitas de pessoas de fora, me senti tão bem ao estar lá com este meu “amigo” que se não fosse um lugarzinho tão longe, com certeza eu moraria lá. O que percebi é que as pessoas da região são mais educadas e acolhedoras, diferente do povo aqui de Resende que mesmo sem merda no cu pra cagar anda com o nariz em pé e a cabeça lá no alto como alguém da alta sociedade, lá as pessoas são bem mais simples, isso se percebe pela aparência no rosto de cada um que se encontra nas esquinas ou restaurantes, gostei desse lugar e do povo de lá. Soube que é um povo descendente de ciganos, por isso são assim, tão simples.

Depois de almoçar ele foi me levar a uma cachoeira, como não achamos a que ele queria me mostrar e no meio do caminho ficamos meio que “perdidos”,voltamos e paramos em outro lugar onde ficamos vendo o rio passar. A chuva tinha dado uma trégua na hora, mas estava bom.

Depois e por fim, fomos a um camping onde tem uns chalés que se alugam por fim-de-semana, muito barato e que já marcamos de ir, fomos andando mata adentro até vermos uma ponte de madeira que corta o rio, claro que atravessamos, comigo tremendo de medo daquela ponte quebrar ou de eu escorregar. Depois dela tinha um campo, lindo, tudo verde cheio de matos e árvores, lugar maravilhoso! Aproveitamos pouco ali, pois logo começa a chover e saímos correndo até o carro que ficou perto dos chalés.

Acabamos tirando um cochilo no carro, o que foi muito bom, pois acabamos nos cansando. Estar ao lado dele foi uma coisa excelente, não teria sido tão bom se eu tivesse saído com outra pessoa. Quando ele me procurou foi a programa, mas depois acabamos ficando, tipo “amigos”. Um cara inesquecível num lugar que adorei conhecer.

Como estávamos no morro, parecia que até o ar era diferente, e com certeza era. Quando chego aqui em Resende, já sinto aquela coisa carregada, tanto no ar quanto nas pessoas ignorantes que te olham como se fosse ninguém. Quem me dera se as pessoas fossem acolhedoras e menos egoístas.

Todo mundo que eu conheci que mora em outro lugar, reclama da região por não se ter nada pra fazer. Volta Redonda é perfeita, pois todo dia tem algum show, eventos maravilhosos e claro, cidade muito mais evoluída que aqui. Espero que agora com essa turma nova na Câmara de Vereadores, aconteça algum tipo de movimentação na cidade que a faça crescer em cultura e atraia visitantes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto