segunda-feira, 1 de abril de 2013

O QUE PASSOU, PASSOU...


Eu achei que quando me encontrasse com alguém que tive algum caso no passado e ainda por cima muito conturbado eu estaria sendo debochado, sádico, cínico ou algo a mais, só que não. Hoje à tarde me encontro na rua com alguém que fez parte da minha vida há uns anos atrás, um relacionamento que não chegou a ser duradouro, mas com muitas brigas, sendo que nosso último encontro foi a mais de 2 anos atrás. Problemas e confusões resumem bem o que houve no tempo em que ficamos juntos, no começo até que foi um mar de rosas, mas depois veio os problemas de uma relação a dois.

Estava passando pela rodoviária e o vejo sentado, na hora em que o vi não senti nada, nem raiva, ódio, nada. Apenas tive a vontade de ir cumprimentá-lo e foi o que eu fiz, parei ao seu lado e o cumprimentei me sentando junto dele e conversando, claro que naquele momento não estavam ali dois melhores amigos então o assunto não chegou a ser como se fossemos conhecidos e grandes amigos de muito tempo.

Eu sei bem o que aconteceu no passado e não foi uma forma de dizer que eu estava errado e por isso fui atrás, nada disso, eu apenas senti vontade de dizer um “oi” a alguém que passou pela minha vida, ficou pouco tempo e depois de umas brigas terminamos. Vontade de ficar tudo em paz, sem saber que tenho mágoa ou sentimento ruim que eu tenha sentido por alguém. Acho que minha intenção hoje em dia é apenas me manter bem, ficar bem comigo e com os outros, por isso entro em contato com pessoas que tive algum tipo de problema, uma forma de dizer que me esqueci e não sinto raiva e nenhum sentimento que só nos consomem por dentro. Claro que tem uns que seria impossível de ser educado e só mandando matar, mas ainda bem que alguns eu sei que posso tirar de vez essa irá, assim eu acho que diminui um pouco meu peso de saber que estava com ódio dentro de mim.
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto