01 maio 2013

QUANTOS PRECISAM MORRER PARA QUE ALGUÉM TOME ALGUMA ATITUDE?



Um casal de São Paulo vive um drama pela segunda vez em seis anos. A perda de um filho para a violência. Da primeira vez, o filho mais velho foi morto numa briga. E ontem, o caçula, de vinte e nove anos foi assassinado por ladrões. Ele era dono de uma academia de ginástica.

Na academia de Fernando ficaram os avisos de luto e as informações para o velório. Foi lá que o empresário de 29 anos foi morto por assaltantes ontem à noite. Ele estava pegando a moto para ir embora quando foi rendido por dois assaltantes em outra moto. Os vizinhos ouviram o tiro.

A mulher conta que Fernando tinha medo de assalto e reforçou a segurança depois que os bandidos tentaram entrar na academia. Em janeiro, o empresário quase foi assaltado, também por criminosos de moto, que só não agiram porque passou um carro de polícia. A mulher conta que Fernando não conseguiu registrar queixa porque não chegou a acontecer nada. “Ele ficou muito bravo assim e o delegado falou: ‘olha, se você responder mais uma vez para mim, vou te prender por desacato porque não aconteceu nada’”. Agora eu vou para minha casa e eu tenho dois filhos pequenos. Segundo a polícia, todas as ocorrências policiais devem ser registradas, mesmo que seja apenas uma tentativa de assalto. Se a autoridade policial se recusar, a vítima deve procurar o delegado titular ou a corregedoria da Polícia Civil.

Fonte: Jornal Hoje

Eu achava que situações assim só aconteciam em cidades pequenas onde cretinos não estão se importando em fazer o que é certo para defender a gente, cidadão de bem. Vendo a matéria sobre o assassinato, lembrei do dia em que eu fui impedido de registrar um boletim de ocorrência no dia em que fui assaltado em Volta Redonda, eu estava tão nervoso com a situação que não sabia o que fazer a respeito, até que me aconselharam a registrar uma queixa. No que chego à delegacia, o responsável agiu na maior má vontade ao me ver confuso quando disse que “achava” que tinha sido assaltado, mas minha forma de expressão no momento não estava me referindo que eu tinha alguma dúvida, mas sim estava mal com o acontecimento que me fez ficar sem dinheiro que estava todo na carteira. O delegado ou responsável que faria meu boletim me disse: “vai pra casa, e quando você tiver certeza do que aconteceu aí sim você volta”. Duas meninas que trabalhavam na delegacia acharam graça da situação e começaram a debochar da minha cara na hora, duas cretinas que não souberam ser profissionais como este policial que nem ouvidos me deu.

Foi algo tão absurdo, que tive de retornar a Resende e registrar uma ocorrência aqui na cidade, até a menina que trabalhava na recepção estranhou eu ter demorado a registrar e quando disse a ela que o responsável agiu de má fé, ela disse que eu poderia tê-lo denunciado por isso. O registro não demorou nada, não tomaria muito o tempo daquele estrupício que me tratou mal.

Depois, um conhecido chegou a “pesquisar” e ver o que aconteceu, achando estranho um policial não ter registrado, e as meninas que trabalhavam na recepção de Volta Redonda, desmentiram a situação me deixando como mentiroso.

Por todos os lugares em que passei, cheguei a ver situações assim, onde policiais estão mais preocupados em se dar bem do que ajudar. Teve casos de policiais que sem medo algum dizem: “só não te bato, porque não cheirei ainda!” e sabe por que dizem essas coisas sem medo? Por que ninguém faz nada a respeito e o governo dá permissão para pessoas perturbadas como alguns deles usarem armas, distintivos e usar o nome da lei para prender pessoas por desacato! Bandido por aí é o que não falta, e mesmo assim, eles cismam em dar “geral” naquele trabalhador que está saindo ou indo para o trabalho. Aqui em Resende acontece muito isso.
 
 
Anterior Proxima Página inicial

Um comentário:

  1. Isso que eu não entendo você é tão emocional e humano sabe gente fina mesmo. e as vezes é implacavel incmpreesivel. Sabe eu tentei juro que tentei mais o seu silêcio e a sua ausência diz tudo que você não quer mais ser meu amigo o que me deixa chateado é que você iguinora as pessoas como eu seria mais educado se você dissese que (não quero ser seu amigo) mais fique tranquilo vou deixa-lo em paz. e as coisa com policia e governo so vão se todos nós unimos igual um formigueiro sabe como um por todos e todos por nós. mais enfim adeus e fique com Deus.

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto