domingo, 9 de junho de 2013

COMO DAR UMA BOA CHUPADA - APRENDAM E DEPOIS ME PROCUREM.


Lambidas no ânus chega a ser para muitos uma grande fonte de prazer. Ali pode ser: O ponto G, um fetiche ou apenas um lugar para se divertir. No meu caso, são as três opções, tanto em fazer como receber.

Bem que eu queria poder fazer sexo oral em mim mesmo, o chamado autofelação. Acho que seria bem melhor do que experimentar a boca de alguém que não sabe, ou não está tão a fim de fazer. Fui contratado para sexo oral. Sem problemas, também faço programas assim, onde passo um tempo chupando e sendo chupado. Só que nesses casos, além do cachê ser diferente, tenho minhas regras, que chega a ser bem controlada. O cliente estava a fim de chupar uma bunda, dar boas lambidas no buraquinho e ser chupado. Adoro sexo oral, principalmente quando rola o cunete, mas só vale aquele bem caprichado, em que a pessoa enche a boca para chupar o cu, com vontade!

Não era o caso dele, que estava bem desanimado e quando me vira de costas e começa a lamber minha tatuagem (não sei por que), ele desce até meu cu e fica somente passando a ponta da língua na portinha. Ele não trepa e nem sai de cima, parecia estar com nojo de colocar a boca na minha bunda. Tá, vamos lá. Eu até ficaria com nojo, se não houvesse a higienização correta do local e também se o cu estivesse parecido com uma buceta, à famosa “cuceta”, neste caso eu ficaria com nojo de colocar a boca, mas como ele me pagou para isso, não vejo motivo para ter receio (não sei) de me lamber, ainda mais eu que não tenho nada de bizarro na bunda e menos ainda de parecer uma “cuceta”.

No que se passava o tempo, fui me lembrando de todos os que me fizeram isso, de apenas passar a ponta da língua no meu cu. Me fez ver que a maioria fez na intenção de matar a curiosidade e ver como é chupar uma bunda, já que alguns deles me afirmaram das vezes que chuparam uma buceta, quase passaram mal, pois sentiram nojo.  Se for para começar a fazer algo, mas fazer com nojo, é melhor nem começar e partir para outras coisas. Mesmo assim, ele passa muito tempo me chupando, enfiando os dedos dentro de mim como se estivesse me examinando, soltava saliva para lubrificar e ficar mais fácil à entrada dos dedos e depois, lambia. Nessa que eu vi, nojo não era o caso, e sim ele que não sabia chupar.
 
 

2 comentários:

Fala que eu te escuto