sexta-feira, 5 de julho de 2013

MEU DIA COMEÇA ASSIM...

Fico admirado com as inúmeras situações que podem acontecer na vida da gente em algumas horas. Hoje tentei levar uma vida “normal”, de sair nas ruas e fazer coisas que pessoas normais fazem, mas acabou que não tive muito sucesso nisso. Tudo começa assim.

A piranha do banheiro: Logo pela manhã, acordo com meu amigo desesperado me ligando e pedindo que eu fosse até a rodoviária Graal, que fica próximo de casa. No que me diz seu local, imaginei que estivesse fazendo pegação no banheiro, pois ele tem esse “vício” de ficar vendo outros rapazes mijando até algum oferecer o pinto para ele chupar. Fiquei irritadíssimo quando ele me chama para ir até lá, não gosto de situações em que tenho que ficar em locais públicos à procura de um pênis. Já frequentei muito banheirão da vida, mas hoje em dia não preciso mais disso. Depois de um esculacho por telefone, ele me diz o que queria. Ele estava, sim, fazendo pegação no banheiro quando bateu a vontade de fazer o número 02 (cocô), pediu que eu o ajudasse, pois estava sem papel e queria lavar com sabonete. Pediu que eu levasse. Ele é como eu, depois de ir ao banheiro, ao invés de papel, eu lavo.
 
O coroa: Logo após socorrer meu amigo, fui ao shopping ver os filmes em cartazes, tinha de ser bem corrido, pois tenho muita coisa para fazer hoje. Não gosto de shopping e são poucas as vezes que frequento, por simplesmente sempre encontrar com alguém que não quero. Desde um cliente ou alguém que tem o costume de também fazer pegação por lá. Chego e vejo o horário do filme que queria ver, passo pela livraria e fico vendo na vitrine os livros que me interessam. Não demora nada e me aparece um coroa que estava me comendo com os olhos desde o momento que entrei no shopping, passando por mim a toda hora e parando do outro lado da vitrine, me olhando e coçando seu pinto, me convidando para alguma coisa que eu não estava a fim de fazer com ele. Na mesma hora dei meia volta e fui embora, puto, pois ele estava me seguindo.

A ex-rica: A vida tem seus altos e baixos. Enquanto estava na rua, encontro com alguém que na época era alguém bem de vida, ou seja, rica. Morava em mansão, tinha comércio e tudo do bom e melhor. Hoje a encontro trabalhando como funcionária pública nas ruas da cidade. Fiquei passado com a situação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto