quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

VISITA AO ASILO E UM POUCO MAIS SOBRE HIAGO.

 Minha manhã começa de uma forma triste e ao mesmo tempo gostosa. Resolvi fazer uma visita ao asilo aqui da região. Eu sempre me imagino no fim da vida. Como será eu daqui há uns 30 anos? Vivo, morto ou abandonado? Ir neste lugar me fez ver o quanto as pessoas não se importam com as outras, mesmo sendo da família ou não. Fiquei feliz por ver o sorriso no rosto das pessoas que estavam lá e que há tempos não recebiam visitas. Ao mesmo tempo fiquei triste, imaginando os motivos que as famílias dos idosos tiveram para deixá-los abandonados ali. Minha mãe se tivesse viva, estaria comigo, com certeza. Nunca me imaginei a colocando num lugar desses, e pra ser sincero, nem teria coragem. Cheguei a pensar que a pessoa fosse alguém sem caráter na vida e por isso está pagando seus pecados ali, mas nem todos tem uma história assim pra contar. Muitos ali foram pessoas sofridas, que não tiveram o apoio de ninguém. Fui fazer esta visita, porque eu poderia estar vivendo uma situação assim, parecida com a deles, como na época que procurei vagas em albergues por não ter onde morar e sem a ajuda de ninguém.


Algo que está sendo bem difícil de os outros entenderem ao meu respeito, é o fato de eu trabalhar e ganhar a vida como puto. Já expliquei várias vezes o motivo, mesmo assim, recebo mensagens de pessoas querendo entender melhor esse personagem Hiago Waldeck.

Gosto de trabalhar. Trabalho pra mim, é uma forma de mostrar aos meus familiares que estou na ativa e ganhando trabalhando honestamente. A prostituição que rola por fora, é como se fosse um complemento para eu pagar minhas contas e viver do jeito que sempre quis. Já pensei em abandonar a prostituição e viver só com o dinheiro do comércio onde trabalho, mas o medo bateu forte, quando me lembrei que, mesmo trabalhando, eu passava necessidades.
 Por outro lado, já pensei em viver só na prostituição, mas o medo de não saber o dia de amanhã me fez perder a segurança de ter o dinheiro fácil. Hoje estou bem, mas e amanhã, como seria se eu dependesse só do dinheiro do sexo e ficasse impossibilitado de fazer programas? Trabalhar com carteira assinada, bem ou mal, me dá uma segurança no fim da vida. Por isso não abro mão de trabalhar fichado, mesmo que seja cansativo viver duas vidas quase que ao mesmo tempo.

Acho corajoso pessoas que resolvem viver na prostituição, sem ter o medo de ficar doente no dia seguinte e não ter nenhum benefício do governo, como a aposentadoria. Tá certo que, não é lá grandes coisas esse dinheiro que ganhamos do governo, mas quebra o galho.



                       

Boa noite.



2 comentários:

  1. Continue com seus dois trabalhos , até porque tendo carteira assinada é uma segurança que irá ter pelo resto de sua vida, agora sem a mesma, e tendo que depender de benefício ou aposentaria do governo, que é hoje R$678,00, não dá para praticamente nada, e para consegui-lo é com muita burocracia e dor de cabeça!!!!
    ASS: Seu melhor novo amigo, do estado do Rio de Janeiro...........O comentário somente sairá como anônimo pois perdi minha senha do google!!!! So sorry, buddy!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, melhor amigo. Não tem problema, não. Pode me escrever como anônimo rsrs.
      No que depender de mim, pretendo continuar ralando com carteira fichada. Isso me faz sentir mais digno, limpo, um cidadão de bem.

      Excluir

Fala que eu te escuto