22 janeiro 2014

3º DE 365 DIAS: PARATY vs MAMBUCABA


Cinco lugares diferentes em um mês é pra causar inveja a muita gente. E causa, né? Minha rota agora foi uma cidade que desde pequeno sempre ouvia falar nas novelas, que é Paraty. Eu sempre disse que um dia iria visitar a cidade, mas dizia isso sabendo que no fundo isso nunca iria acontecer. De repente sair de casa e acordar numa vila história cheia de coisas para contar é fascinante e intrigante. Achei a cidade muito acolhedora, pessoas educadas a fim de contar a história da cidade, nos tratando bem, sempre com um sorriso no rosto. Enquanto estava na cidade tirando fotos e postando, estive recebendo algumas críticas do local, de pessoas dizendo que Paraty é um péssimo lugar para se visitar por não se ter nada pra fazer. A pessoa fala mal da cidade como se Resende fosse a melhor cidade do mundo para se morar e visitar. Conhecer uma cidade histórica está muito além de visitar boates e ficar em barzinhos tomando pinga. O que tira um gringo de sua cidade para ir nestes lugares, não é só diversão, mas sim a  cultura e história que a cidade tem pra contar, e nos informar de toda sua riqueza histórica acaba nos deixando ricos de sabedoria, nos fazendo dar mais valor numa rua cheias de pedras centenárias do que luzes piscando em alguma balada. A pessoa que diz não gostar de Paraty ou qualquer outra cidade histórica, com certeza é alguém ignorante, pobre de cultura.

O ruim do lugar é que as praias são sujas e, por isso o banho é proibido. Ou quase. Teve gente que arriscou entrar na água (eu fui um deles). Perguntei para uma gringa que estava na areia sobre as condições da água e ela disse que dá para tomar banho. No que vi centenas de famílias e estrangeiros na água, resolvi entrar. Já sou feio, se for de nascer outra perna em mim, vai ser lucro hahaha.










Em Paraty conheci o 3° de 365 dias. Ele se chama Geraldo, um cara todo grande, não musculoso, um pouquinho acima do peso, mas que caiu muito bem todo aquele tamanho nele. Simpático e com uma bunda enorme, curtia de tudo, mas estava a fim de ser passivo. O que mais me agradou nele foi sua covinha no queixo, um diferencial nas pessoas que me atrai muito. O sexo estava intenso, mas depois eu acho que ele esfriou, porque começou a sentir dor quando o penetrava. Com ele minhas fantasias rolaram soltas, tive vontade de mijar nele, e ele aceita, se agachando e segurando meu pinto enquanto urinava. Diz ele que fui o primeiro a fazer isso, e pelo jeito, ele gostou. Ele queria tirar foto minha, mas não deixei. Mas acho que bem tirou escondido.
Lado Bom: Rolou química boa entre a gente. Combinamos de sairmos dia seguinte, mas não deu.
Lado Ruim: Ele morava um pouco afastado de onde eu estava hospedado, já eram 5hrs da manhã e eu estava cansado.
...
Como estava perto de Angra, resolvi dar uma passadinha na região e aproveitar o mar sem me preocupar com sujeira. Tinha visto alguns conhecidos postando nas redes sociais que estavam na cidade, então, para não cruzar com eles, fui para Perequê, em Mambucaba (nunca sei se Mambucaba é nome de praia ou bairro), num condomínio que tem ali por perto, onde os que trabalham na usina moram. Ali foi a primeira praia que fui na vida, quando na época tinha sido levado pelo Rei, que me levou para conhecer. Ah, o lugar acabou me marcando, foi a primeira vez que vi o mar. Lindo! Estava num lugar lindo com alguém que eu gostava. Mas é passado, agora só gosto do mar hahaha.







Na boa, eu devo ter dançado pole dance na cruz para merecer ter que aturar tanta gente estúpida reclamando de mim. Minha ida à Paraty mais uma vez causou revolta. Pessoas não conformadas ficaram indignadas por eu estar viajando tanto e gastar um dinheiro que é meu. Pessoas que estavam a fim de fazer o mesmo e não podem. Andaram comentando que não é possível eu ter tanto dinheiro assim pra poder gastar com viagens. Olha o papo do povo!!!! Daqui a pouco vão dizer que fiz um pacto com o diabo. Agora entendo o que a Xuxa passa hahaha. Se você tem alguma coisinha o povo implica, e isso, pois todo mundo sabe o que faço. Ou será que fiz um pacto??? Gente besta!
Uma pessoa próxima e não conformada comentou que se eu tivesse dinheiro, teria comprado carro, moto, etc... Aí é demais! Querer mandar no meu dinheiro e dizer o que tenho que fazer ou não só pra provar que eu tenho ou não. Dá pra entender? Uma verdade que o meu amigo João disse: “Imagine quando fizer uma viagem internacional, como vai ser a reação deles”. Eu só estou aproveitando, coisa que não fiz ano passado.

Minha intenção agora é ir visitar uma ONG chamada Casa Hope, onde acolhem crianças com câncer e que não tem condições financeiras para tratamento e recebem toda ajuda lá. Depois disso, pretendo ir um pouco mais longe, pensando em Foz do Iguaçu ou Buenos Aires. E seja o que Deus quiser.

15 janeiro 2014

DO RIO DE JANEIRO À BÚZIOS


É, este ano estou mesmo empenhado em viajar e aproveitar. Férias ao extremo! Sair de uma rotina cansativa e pisar em solo carioca, é a melhor coisa que tem. Dei uma passada no Rio de Janeiro, aproveitei para matar a saudade das praias e alguns lugares onde sempre me trouxeram boas recordações.





Mas não para por aí. Estendi o percurso e acabei indo parar em Búzios. Ainda não tinha conhecido, e me encantei, da mesma forma que Brigitte Bardot ficou fascinada pelo local. Armação dos Búzios, Praia da Azedinha e Praia de João Fernandes só se resumem em uma palavra: Maravilhoso! Fui pra lá dia 13, na comemoração de 50 anos da descoberta do local pela atriz, Brigitte (foi o que eu li). Dormir em Búzios e acordar com uma manhã linda e um café maravilhoso na pousada que fiquei, não tem preço. 








Dois dias inesquecíveis nestes lugares lindos. Já tô olhando o mapa e vendo qual vai ser minha próxima parada.

#HiagoWaldeckDeFérias

Boa noite.


11 janeiro 2014

BOA TARDE. . .


Férias, descanso ou folga. Podem interpretar como quiser, mas resolvi tirar o mês de janeiro só pra mim. Atendo o telefone uma vez e outra, mas nada com frequência, pois não quero ficar exausto com trabalho. Todo mundo precisa de um tempo, e hoje, estou me dando este tempo. Quando eu voltar ao serviço e pegar firme (no bom sentido), já tenho algumas coisas em mente, tipo: A cada dinheiro que eu ganhar, metade irei doar. Se você conhece alguma instituição de caridade, entre em contato. Descobri um lado vivo em mim, que me deixa em paz e me faz sentir mais próximo de Deus quando resolvo ajudar. Como está sendo algo gostoso, vou continuar.


Não posso deixar de comentar algo ruim. Não ruim, mas sem noção.  A pessoa não satisfeita em ficar falando de mim, agora está comentando sobre mim em redes sociais de minha família. Pra quê? Não é a primeira vez que pego certos comentários a meu respeito, tanto que, minha sobrinha acabou achando estranho e me perguntando o que rola entre eu e a tal pessoa, porque ela não para de falar de mim. Conseguiu o que queria, agora tem seus 15 minutos de fama e será conhecido pelo povo aqui, teu besta! Isso tudo, por eu ter dispensado e ter perdido a vontade de manter contato. Estava sendo chato a situação. Eu ligava e ele reclamava. Parava de ligar e ele reclamava do mesmo jeito, então, parei de me estressar e não o procurar mais. Aí começou a correr atrás, mas era tarde, e eu, não queria mais nada. Trepa ou sai de cima!


04 janeiro 2014

+ MAIS AMOR - MENOS RECALQUE



Um amigo está me mostrando que o homem pode ser um ser surpreendente, mesmo quando sempre mostra ao contrário. Tenho um amigo que está investindo pesado na ajuda às pessoas que perderam tudo em Espírito Santo. Senti uma inveja enorme de vê-lo fazer tudo aquilo que eu sempre tive vontade, desde ajudar a carregar o caminhão com mantimentos até visitar e doar às pessoas que hoje, não tem mais nada. Infelizmente minha falta de tempo não permite que eu esteja com eles, na luta para mostrar àqueles que perderam tudo, que eles não estão sozinhos.

 Ver uma situação dessas e fingir que nada acontece é a coisa mais fácil que existe. Um pedido que faço a vocês: Se coloquem no lugar dessas pessoas. Tentem imaginar o que sentem e o desespero que atinge a cada um daqueles que perderam tudo ou até mesmo nunca tiveram nada.

Uma simples doação de roupas pode fazer a diferença para muita gente. Hoje, tirei de meu guarda-roupa várias peças que não me servem mais. Andei comprando algumas roupas de tamanho menores e, com meu aumento de massa muscular (peso), acabei nem usando. Ver a expressão de um adolescente ganhando algo novo ou velho é uma dádiva, um presente que Deus me deu por saber que existem pessoas que se contentam com pouco, não se importando com luxo. Sua cara foi a mesma que eu fiz quando ganhei minha primeira Calvin Klein, que por sinal, foram uma das marcas que acabei doando de meu guarda-roupa (comprados nas lojas Gless, Shopping e que encomendo). Liguei para meu taxista e pedi que fizesse a entrega junto comigo, em lugares onde acolhem pessoas que precisam.


Um deles veio me agradecer e eu simplesmente disse: Agradeça a Deus pelas coisas que me deu. Foi com a ajuda dele que comprei isso que estou dando a vocês. 



03 janeiro 2014

ADEUS, ANGRA. EU VOU, MAIS EU VOLTO!



Hoje acabei acordando tarde. Mesmo assim, deu para aproveitar e muito meu dia. Estava cheio de vontade de fazer um passeio de barco, mas algo simples e de preferência com menos gente, pois uma barca chega a caber mais de cem pessoas. Não era isso que eu queria, e quase que alugo uma só pra mim. Acabei indo na embarcação do Atobá, um barco com capacidade para 50 pessoas. Antes de sair do cais, estava com medo de passar mal e fui me perguntando como faria se isso acontecesse. Graças a Deus fiquei bem, sem enjoo do balanço do barco. Afinal, estava sendo meu primeiro passeio no mar. A natureza tem proporções

terapêuticas. Não tem como ficar estressado ao tomar um banho de mar e curtir uma vista que só vindo de Deus, mesmo. No passeio, visitamos algumas ilhas (que não me lembro dos nomes) com parada na praia de Japariz - Ilha Grande (Angra), que foi uma das praias que me encantou. Apesar de estar lotada, consegui achar um cantinho reservado para eu tomar banho. O legal foi que no passeio, acabei fazendo amizade com um casal muito simpático que estavam visitando Angra pela primeira vez. Eles são de Trindade, e não gostaram muito do que viram por aqui. Acharam tudo muito tumultuado, tanto nas praias quanto na embarcação, sendo que eles gostam mesmo é de sossego. Um casal lindo e que ainda fez o favor de guardar minha carteira na bolsa deles.

Na parada que fizemos na praia, tive uma hora (que foi o tempo que tivemos de ficar) para pensar em minha vida ano passado. Enquanto tomava banho no mar, limpando as coisas ruins que o ano passado me deixou, pensei muito, chegando à conclusão de que o ano passado foi um ano bom, mas muito conturbado.
Praia do Japariz - Ilha Grande (Angra dos Reis)

  • Percebi que investi em pessoas erradas e corri atrás de falsos sentimentos de quem nem sabe o que significa isso. Fui tão idiota ao pensar que as coisas poderiam ser diferentes com pessoas que eu achava que valia a pena. Deixei de procurar amigos de verdade, para me preocupar com quem está a fim de uma rapidinha.
  • Um ano bom para trabalho. Ralei muito e aproveitei pouco. Tive uns dias de férias, mas que por problemas pessoais, acabei não viajando para lugar nenhum. Estava sobrecarregado com coisas de serviço e energias negativas de pessoas mal resolvidas e mal amadas na vida.
  • Estava muito animado com a vida do Hiago, e isso impediu que eu pudesse desfrutar de certas coisas.

Minha intenção em 2014 é apenas uma: ‘férias!’. Estes três dias que passei aqui foram terapêuticos e me fez ver que eu precisava de um tempo para cuidar da minha mente e corpo. Passar estes dias aqui, me fez querer curtir 2014 em ritmo de festa, ou férias. Cansei de ganhar dinheiro com meu corpo, agora quero ganhar dinheiro com minha esperteza (frase de Bruna Surfistinha). Passei o fim do ano ralando, apesar de não demonstrar, minha agenda estava tensa. Digamos que, ganhei dinheiro e agora, vamos gastar! Mas no bom sentido e tendo consciência, porque o que vem fácil, vai fácil. Mas aproveitar a vida e viver mais intensamente, curtindo lugares e momentos, com certeza está nos meus planos.


O ano novo entra e, sinto uma enorme vontade dentro de mim em me tornar voluntário em organizações para ajudar o próximo. Estou pensando em investir seriamente no assunto, me tornando voluntário na ajuda de pessoas que precisam.

Quero agradecer a Deus por este momento maravilhoso proporcionado no começo do ano. Sei que não sou um filho exemplar, mas quero agradecer toda a força e benção, me ajudando a cada dia a conquistar meu espaço e independência.


Eu estou com um propósito na vida. Não é algo nobre, eu assumo. Mas pelo menos eu tenho um e isso me mantém ocupado.




02 janeiro 2014

ANGRA DOS REIS - A SAGA


Aproveitei o dia todo tomando banho na Praia Grande. Passei o dia todo na água e areia. O resultado agora é uma insuportável dor nas costas, devido à exposição ao sol. Eu me esqueci de usar o protetor.


É uma situação que eu sempre disse ser contra, mas que hoje, acabei entrando em contradição e cometendo este ‘’erro’’. Estava no cais do centro de Angra, numa tenda eletrônica que montaram, com um DJ que ainda estou tentando saber quem é. Acabei conhecendo o Teteu, que passa por mim me encarando. Jeito de menino, sua cara não escondia sua idade abaixo dos 18 anos. Fiquei parado o olhando de longe e esperando se aproximar. Depois de muito enrolar, ele chega perto e começa a conversar. Logo de cara perguntei sua idade. Ele me responde ter 17 anos. Isso pra mim ainda é considerado pedofilia, mas me coloquei no lugar dele na época quando eu tinha esta idade. Com o mesmo pensamento, queria ficar com os caras mais velhos e sentia um desejo enorme pelo sexo com outro homem. A diferença, é que hoje, quase que a maioria das pessoas se preocupam em não manter relação com menores de dezoito anos, coisa que antigamente, as pessoas que eu conheci não se importavam muito. Saímos e fomos ao porto aqui do centro, um lugar que vim há muito tempo, mas que conto em breve...
Lado Bom: Ele tinha 17 e, eu tenho uma sobrinha com esta idade (aproximadamente). Fiquei me perguntando dos caras mais velhos que também poderiam se envolver com ela. Fiquei com receio, medo. Afinal, não gosto de menores de idade e sempre condenei quem sai. A gente sentados conversando, ele se aproxima bem pertinho e me beija. Eu acabo revidando. Estávamos nuns bancos do cais, onde logo mais vi que, também era usado por usuários de drogas. Mudamos de lugar e acabamos indo para umas plataformas de madeiras onde os barcos ficam ancorados. Lugar bem mais discreto onde poderíamos ficar mais à vontade. Não passaram de uns três beijos na boca e beijinho no ombro. Estava tendo mais respeito por ele do que atração sexual. Ficamos sentados conversando e trocando contatos. Nada mais. Depois ele teve de ir buscar seu amigo que ele havia dispensado para ficar comigo.


Soube que os coreanos/chineses/japoneses tem certo preconceito com brasileiros (então pra que eles vêm morar no Brasil?). Logo após ter me encontrado com o Teteu, fui tomar suco num lugarzinho onde são coreanos (xingue lingue) que tomam conta. Nunca fui tão mal atendido em toda minha vida! Na mesma hora me perguntei: ‘isso por eles não gostarem de brasileiros?’. A menina por mais que se esforce no português, ela não sabia tratar e agir com educação. Menos ainda seus funcionários, que são brasileiros (juro!). Fiquei decepcionado com o atendimento no Pollato, no centro de Angra. Esperava algo melhor vindo deles.



01 janeiro 2014

ANO NOVO


Fim de ano em Angra dos Reis 2013/2014
Novo não deve ser somente o ano e, sim, suas atitudes no decorrer dos seus 365 dias. Desejo de coração que este ano seja um ano de realizações e que as pessoas tenham mais consciência das coisas e mudem suas atitudes. Comecem a pensar nas outras pessoas e façam a diferença mostrando respeito pelo próximo.

Meu ano começa bem diferente. Pela primeira vez eu faço uma viagem sozinho. Já viajei sozinho antes, mas não como hoje. Na maioria das vezes quando vou para algum lugar longe, sempre foi na intenção de me encontrar com alguém, ou seja, nunca estive sozinho. Hoje, estou em Angra dos Reis. Resolvi passar a virada do ano e aproveitar um dia inteiro neste lugar maravilhoso abençoado por Deus. Estava na dúvida entre Rio e Angra. Só que, depois de me lembrar que Rio estaria bem mais movimentado, resolvi vir pra cá, onde custei para achar um hotel com vaga, devido a grande procura no fim de ano. Apesar de ter combinado com dois amigos de estarmos juntos aqui, eu acabei vindo sozinho. Fiquei triste, pois quando chego na rodoviária, não havia mais ônibus para eu embarcar, só teria no dia seguinte, então, vim de táxi de Resende até Angra. Saiu BEM CARO, mas valeu a pena.


Bom, feliz ano novo para todos, com um 2014 cheio de coisas boas. Mais uma vez digo: ''Faça a diferença e respeite o próximo''. 





Anterior Proxima Página inicial