sábado, 1 de fevereiro de 2014

7º DE 365 DIAS: PROGRAMA EM ANGRA DOS REIS

Recebi um chamado de alguém bem influente aqui em Angra dos Reis, alguém que sabe o que quer e sabe que não tenho tempo a perder com brincadeiras e desconfianças. Geralmente programas feitos em outra cidade o cachê acaba mudando, acaba sendo cobrados passagem, hotel e todas as despesas pagas. Não são todos que aceitam algumas exigências que pessoas de programas fazem, e por ser algo sério, ainda mais se tratando de uma viagem, não dá para tolerar quem fica na dúvida se paga ou não o dinheiro antecipado. Nesses casos, pelo menos metade do dinheiro tem que ser depositado antes e a outra metade paga depois do serviço feito. No caso deste meu cliente, nem precisou conversar muito, ele pede o número da conta e já manda todo o dinheiro, incluindo passagens, hospedagem e tudo mais. Gostei, com isso ele acaba ganhando um ponto positivo e mostrou ser decidido, e não aqueles bobos que ficam com medo de mandar dinheiro e não receber o produto.

Pra pagar caro e passar uma noite ou o dia inteiro com alguém, no mínimo tem que rolar química e muita conversa. Posso não ser cheio de qualidades, mas quando rola afinidade com alguém que saio, chega a ser melhor do que o sexo.

Chego a Angra no horário do almoço, e meu cliente já estava me esperando. Ele é um empresário conhecido, com casas aqui em Angra e a fim de um bom papo. Com tantas pessoas aqui, por que me chamou? Eu também não sei. Acho que por eu ser diferente e não fazer parte do padrão de beleza dos garotos que são bombados, lindos e tal, eu acabo me destacando, sendo mais simples e natural. Há quem me aconselha a mudar isso ou aquilo, mas se sendo assim já ganho, pra que mudar? Ele me leva para conhecer sua lancha, onde passamos a tarde toda ancorados na ilha Capivari. Estava a fim de alugar um e poder aproveitar da melhor forma, mas nem precisei me preocupar com isso, pois ele acaba realizando esse meu sonho de ficar em alto mar com tratamento VIP. Ele acabou dispensando o piloto, achou mais discreto e que ficaríamos à vontade somente nós dois. Ainda bem que ele sabe pilotar.  Passamos a tarde tomando banho de sol, nadando e conversando muito. No fim da tarde estava exausto, ainda tinha uma agenda cheia a seguir com vários lugares aonde ele iria me levar. Estava curtindo tudo, mas vi que teria de dar uma pausa quando entrei na água e meus olhos estavam queimando e ficava tonto depois que mergulhava. Era o sono chegando. Cheguei a descansar um pouco em sua cama na lancha, com ele deitado ao meu lado me deixando sem jeito enquanto me olhava cair no sono. Ah, não fui pago para dormir, mas estava cansado, ele entendeu e acabou caindo no sono também.

O sonho de verão nessa ilha acabou quando recebemos uma notícia muito triste. Um conhecido dele e do público brasileiro acabou falecendo e será enterrado amanhã. O Dudinha, assistente da socialite Val Marchiori morreu. Meu cliente teve de ir embora para São Paulo acompanhar o enterro. Nisso voltei para o hotel. Passei o resto da noite dormindo, muito cansado.

Valeu muito o dia que tive hoje, só deixando a desejar esta notícia sobre o Dudinha, que era alguém que eu curtia muito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto