quinta-feira, 28 de agosto de 2014

ADORÁVEL PSICOSE

Logo imaginei que um cara casado, não ia querer nada além de uma trepadinha pra descontrair seu casamento hétero. Mas acabei me deixando levar, pois ele, era alguém que eu estava de olho faz tempo. Ele também tinha o desejo de ficar comigo. Logo percebi no primeiro dia que nos vimos, ele me olhando, sem disfarçar que estava interessado. Acabamos nos "esbarrando" na rua, ele pede meu telefone e trocamos conversas. Sempre depois que sua mulher caía no sono. Algo que sou exagerado, é em levar ao pé da letra o que me dizem. Ele me diz:

- Sou vidrado na sua! Quero ter alguém comigo que troque carinho e entenda meu relacionamento. Me senti muito atraído por você.

 Ele foi um perfeito poeta quando me escreve coisas bonitas a fim de chamar minha atenção. Mas sendo casado. Humm, fica difícil de acreditar.  Depois de tê-lo levado pra minha casa, termos ficado e tranzado, ele agiu exatamente como imaginava. Nossa brincadeira na cama foi gostosa, ele me chupou por inteiro, me dando um banho de língua na minha bunda. Ele sabe e gosta de chupar um cu. Depois de trocarmos até saliva (coisa que fazia só com meu ex-namorado), ele goza na minha boca. Soube ser agressivo e mandão na hora certa.
Com tanto romantismo, esperei ansioso que me ligasse dia seguinte dizendo que eu ainda era lindo e perfeito. Esperei, pois sabia que isso não iria acontecer. Disse na cara dele que, por ser casado, não acreditava nas suas juras de amor. Dito e feito. Dia seguinte ele não me liga, não me procura e nem manda um "oi". Aconteceu o que imaginei. Ele conseguiu o que queria, não iria ligar mais. Eu, com raiva e a fim de "perturbar", fui cobrá-lo e saber o motivo de não falar comigo. Não estava fazendo questão dele, só queria provar que, aquele carinho e atenção era de faixada. Resumo da história: conseguimos brigar por conta disso. Ele diz que se sentiu magoado por eu ter duvidado dele. Me sinto melhor agora. Meu sexto sentido estava certo desde o primeiro momento que ele me abraça e eu sinto que havia algo errado.  Só queria provar ( a mim mesmo) que o tal homem perfeito não existe.
Lado Bom: A parte boa de ele ter entrado na minha vida, só valeu pra fortalecer a ideia que, a melhor coisa que continuo a fazer, é ficar sozinho. Rsrs.


Uma lei que proíbe o uso de bonés e capacetes quando estiver entrando no banco. Eu nem sei se isso foi aprovado, mas me incomodou muito quando fui “barrado”. Diariamente, quando exerço meu trabalho no período da manhã, chego a ir ao banco depositar o dinheiro. Nunca tive problema algum em entrar de boné. Até mesmo porque, o pessoal da agência já me conhece. Ontem, quando fui ao banco, o guarda pediu que eu virasse meu boné, pois estava em uso a lei que proíbe usá-lo dentro de estabelecimentos. Na hora disse a ele ser uma tremenda bobagem, mas virei meu boné, me sentindo ofendido, mas virei.

Resende, onde moro. Uma cidade onde o atual prefeito só soube fazer mudanças no trânsito e construir obras desnecessárias, teve o mandato cassado por estar roubando, e ainda teve a coragem de candidatar sua mulher para que continue com o seu legado (e aposto que vários analfabetos vão votar nela), pôr em práticas leis que proíbem uso de boné em bancos. Tá de sacanagem, né! Minha amiga, por exemplo, na última eleição votou no atual prefeito, simplesmente por ter tido fartura de alimento na festa que ele deu. Ou seja, ela só foi (e gosta dele) pela comida. Mas tem gente que se vende por bem menos que isso aqui. Sem contar o último prefeito, que também acabou sendo afastado da prefeitura e hoje, tem um posto de gasolina onde nem o combustível vale a pena (diz os próprios empregados).


Tá certo, eu até concordo que alguns Resendenses têm que se fuder, por serem pessoas babacas. Mas vou te falar, “eita” gente burra que gosta de candidatar gente que não presta!


Leia Mais ►

sábado, 23 de agosto de 2014

MUSEU DE DUAS RODAS

O número 79 chega dando ordens e dizendo que não pode se envolver em um caso mais profundo, pois ele é casado e com filhos. E olha que, eu nem tinha perguntado a ele. Deu a entender que, nós, profissionais do sexo, somos pessoas carentes e que necessitamos de alguém para nos completar. Sim, um pouco disso pode ser verdade, mas isso não queria dizer que estamos sempre carentes e pedindo em casamento todos os clientes que temos durante o dia. No meu caso, estou sendo simpático, e não dando mole pedindo oportunidade pra namoro. Depois de engolir a seco esse papinho besta, acabamos partindo para o sexo. Algo normal, arroz com feijão (e sem nenhum pedaço de frango pra dar um gosto diferente). Para alguém que se diz ativo e insaciável, ele estava com seu apetite sexual bem fraco. Depois que ele goza, acaba se afastando de mim, meio que, com pressa para vestir suas roupas e ir embora. Enquanto eu, continuava deitado na cama me masturbando sozinho. Ele vendo que havia alguém do seu lado se masturbando, será que custava dar uma mãozinha pelo menos? No caso dele, acho que, sim. Depois de tomar banho, me arrumo, pois tinha planos de conhecer um museu de motos antigas que tem na região. Quando comentei com ele, veio o espanto: “por que não me chamou pra ir com você?”. Não entendi. Ele deixa bem claro que não estava a fim de nada sério, que seria apenas trepar e nada mais e, depois me cobra por não tê-lo convidado para ir comigo ao museu. Ele estava louco. Só pode!

Sem um pingo de peso na consciência, saio de casa e ligo para o táxi me buscar. Fui conhecer o Museu Duas Rodas. Pra quem curte motos e coisas antigas, está no lugar certo. Não sou APAIXONADO por motos (até perdi um amigo em acidente), mas falou em raridade e coisas antigas ­(museu em geral), é comigo mesmo. São tantas variedade e coisas absurdas. Quase inacreditável de se achar que, alguém nesse mundo, andava em certos tipos de motos, há mais de 50 anos atrás. Cada coisa diferente que, nunca pensei que pudesse existir. Interessante, pude ver alguns modelos de motos, bicicletas e triciclos infantis. Alguns parecidos com aquele que o boneco do filme Jogos Mortais anda, sabe? Curto história. Me faz aprender sobre coisas e épocas que eu não tinha nascido.





Aprendo muito em cada vez que vou a algum lugar assim. Mas, claro, nada se compara com a emoção que eu senti quando vi um quadro pintado por Van Gogh e Renoir no Museu Nacional de Bellas Artes em Buenos Aires. Foi uma emoção e tanta. 

Eu em Buenos Aires - Museu Nacional Bellas Artes- Quadro de Van Gogh



Leia Mais ►

terça-feira, 19 de agosto de 2014

78º DE 365 DIAS: NA MINHA ÉPOCA NÃO ERA ASSIM

A “brincadeira” do sexo no dia do meu aniversário acabou me rendendo e muito! Só na noite passada, recebi mais (muito mais) de duas mil mensagens pelo Whatsapp. Tive que desativar minha internet para poder ver as mensagens e responder com calma cada uma. A única coisa que não agradou, foi a participação de crianças menores de idade me ligando e mandando mensagens querendo fazer parte do grupo das 27 pessoas. Dentre elas, estão meninos e meninas, que mal saíram das fraudas. Teve muita gente me xingando (novidade), desejando mal e até que eu pegue uma doença. Mas são pessoas que, com certeza ficaram admiradas com minha ideia (e coragem) e por não terem peito de fazer isso, me criticam. Mas fiquei surpreso com a quantidade de pessoas que me procuraram. Muitos são de outras cidades e algumas daqui. 

Também teve gente do bem me desejando coisas boas e dando conselhos.



Acabei conhecendo um, que viu o meu “trabalho” e contratou meus serviços.

Eu sou da época em que pai e mãe tinha que sentar com seus filhos e falar sobre SEXO. Apesar de ter nascido num tempo em que este tabu era frequente entre nós jovens, eu nunca tive um conselho sábio de meu pai. Na verdade, acho que, ele menos ainda saberia me dar um bom conselho, não de como penetrar alguém e ter um orgasmo, mas de me guardar e me manter livre de doenças. Conheci um garotinho que acaba de completar dezoito anos. Pouco mais baixo que eu, rosto com espinhas, longe de ser um príncipe. Apesar de ter a certeza de que ele saberia me ensinar muita coisa na cama (pois crianças de hoje em dia já nascem sabendo), acabei ficando com minhas dúvidas sobre ele.

“esses dias, quando estava me protegendo da chuva num ponto de ônibus, vi na minha frente um garoto, conversando pelo celular com sua namorada, combinando de fazer uma TRANSVERSAL DUPLA depois da aula, pois ele estava com tesão. Na hora não abri o Google para saber o que seria isso, mas confesso que, fiquei curioso. Hoje em dia, além de eles (crianças) nascerem sabendo de tudo, já estão até dando nomes a posição sexual que eu, velho de casa, ainda não sei como se faz”.

Achei que seria mais um que eu iria dar ordens do tipo “faça isso” ou “chupe com mais força”, mas, não. Não precisei dizer nada para que pudesse me agradar, pois não existe coisa mais chata do que fazer sexo de um jeito como se estivesse cantando as posições como num jogo de bingo. Ele, apesar de novinho, sabia exatamente onde tocar, a intensidade que deveria apertar e velocidade que deveria me masturbar. Mãos de fada? Que nada. Parecia uma mulher, pela delicadeza com que segurava meu pênis. Estava tão empolgado, que comecei a ficar “molhadinho”. Meu pau babava (coisa que nunca me aconteceu assim, dessa forma) e ele, com cuidado, limpava a cabecinha, e lambendo os dedos, engolia a babinha. Achei que eu seria o lobo mau e devoraria o pobre garotinho. Me enganei. Ele estava com mais fome que eu e acabou me devorando. Enquanto eu subia com calma por cima dele para não esmagá-lo e machucar, ele encaixava seu pinto na minha bunda e, com força, acabava forçando a penetração, SEM LUBRIFICANTE. Foi tenso, mas gostoso. Ele me beijava e trocávamos de posições várias vezes. E todas elas naturalmente, sem regras a serem seguidas. No fim das contas, acabei gozando três vezes junto com ele.
Lado Cômico: Quando ele marca e vejo ser alguém novo, a primeira coisa que pensei foi: “com que dinheiro ele vai pagar o programa comigo?”. Será que a mãe dele sabia que ele estava usando o dinheiro de pagar as contas de casa para sair com putas (os) na rua? Sim, muitas pessoas fazem isso.


Leia Mais ►

domingo, 17 de agosto de 2014

E FOI DADA A LARGADA!

Tinha começado como uma "brincadeira" que eu quis fazer. Mas acabou tomando um rumo bem diferente. Em 20 minutos recebi mais de 400 mensagens, e agora já passaram da faixa de 800 em pouco mais de uma hora. Meu telefone não para de tocar. Tive que desligar a internet, pois não tô dando conta de responder todo mundo que, além de me ligar, estão me chamando no Whatsapp. 

E ae, o jeito agora é levar adiante. Bora pra orgia. Dia 22 de setembro, meu aniversário de 27 anos comemorado assim, em grande estilo haha




Leia Mais ►

sábado, 16 de agosto de 2014

77º DE 365 DIAS: FALTA PRATICAR NO BOQUETE




Madrugada de sábado, sem nada pra fazer, um frio de doer os ossos. “A fim de um programa?”, o cliente me convida. Aceitei. Seria o primeiro que atenderia no dia. Ele saiu de Volta Redonda, dirigiu sei lá quantos quilômetros pra vir aqui me ver. Quando chega nas coordenadas de meu endereço, o vejo usando uma bermuda florida e uma camisa do mesmo modelo. A próxima grande festa comemorativa seria o fim de ano, mas ele parecia estar preparado para o carnaval. Foi muito gentil comigo. Depois percebi que se tratava de um gringo. Educação me anima muito na cama, mas não impede que eu deixe de enxergar o que ele vestia. Estava feio. Foi doloroso ver aquilo. Não sei qual foi a façanha que ele fez, mas acabou quebrando uma garrafa de vinho que eu trouxe de Buenos Aires. Se desculpou, mas isso não traria meu vinho de volta. Pensei comigo. Ele pareceu estar nervoso, sem saber exatamente o que fazer com a língua quando tentava me beijar. Minha boca não é pequena. Mas agora errar e acabar passando a língua no buraco do nariz, me pareceu inexperiência demais! Naturalmente as coisas foram ficando mais saudáveis e acabamos nos entendendo na cama. Não foi nenhuma grande descoberta, ou alguma posição estimulante, mas me diverti muito com ele. Nesse primeiro tempo, acabamos tendo nossa primeira gozada, com ele me penetrando.

Beijos estimula muita coisa, mas como ele (apesar da idade) estava em fase de aprendizado, demorei um pouco pra me reaquecer e ir para o segundo tempo. Em dois anos fazendo programa (é mais, só que começo a contar a partir de 2012), vi muitos me chuparem, mas poucos me proporcionarem prazer. Alguns machucam, e outros fingia que estava bom. Com ele, foi a tentativa mais patética de sexo oral que eu poderia estar recebendo. Ele era o “inexperiente”, mas foi eu quem acabou ficando constrangido por ele não saber chupar um pinto. Mesmo tendo um membro entre suas pernas, ele parecia não saber o que era e menos ainda da dor que qualquer dente causaria naquela região. Coloquei seu pinto na boca e mostrei a ele como deveria me chupar. Aproveitei que estava com a mão na massa, e dei uma raspada com os dentes em seu pinto, para que ele sentisse a dor (e raiva) de levar uma mordida. Acho que depois dessa, ele deve tomar mais cuidado e se empenhar mais em chupar uma piroca. Acabou sendo sua gentileza e delicadeza nas palavras que me reanimaram novamente. Deixamos o oral de lado e acabamos indo para a penetração. Cochilamos, conversamos, nos beijamos. Poderia ter sido melhor, mas a falta de prática  dele não seria resolvida numa noite comigo e, menos ainda teria tempo para ensiná-lo. Foi bom enquanto durou, mas acabou. Adeus!


Leia Mais ►

terça-feira, 12 de agosto de 2014

76º DE 365 DIAS: VOCÊ ACHOU QUE EU NÃO IRIA LONGE. ESPERE E ME OBSERVE!



Acordei bem cedo para ir ao Rio de Janeiro encontrar meu cliente. Na descida da serra teve um pouco de engarrafamento, o que atrasou um pouco meu lado, mas cheguei. Este meu encontro foi algo de alto nível. O Cléber é culto e sabe se expressar bem. Com seus quase 60 anos, ele está mais ativo que muito garotinho de 20. Sem contar que, sua aparência física mostra ser alguém de 35 anos. Inacreditável como ele é conservado. Parece fazer aplicação de formol. Só pode. Sabe aquelas pessoas que curtem um bom papo e um bom vinho acompanhado de caviar? Ele é assim. Talvez por ser maduro e ter aproveitado bem sua vida sexual, hoje em dia ele prefere apenas conhecer. Pelo menos comigo foi assim, parece ter se identificado com minhas historias e por isso me chamou pra sair. Como eu estava no Rio, queria aproveitar minha ida e comprar caviar, pois aqui em Resende não existe (não mais). Ele acabou me fazendo um convite. Me chamou para conhecer um lugar aqui no Brasil onde criam o Esturjão, que é o peixe que produz o caviar. Mas aqui no Brasil? Enfim... Aproveitamos uma parte da manhã juntos e o comecinho da tarde. Depois do almoço, era a hora de nos despedirmos.

Com a tarde só pra mim, fui curtir um pouco o jeito carioca. Eu havia anunciado nas redes sociais que estaria no Rio. Recebi algumas ligações e mensagens, mas não consegui responder a todos. Chegando ao Rio, meu telefone de trabalho descarrega, me deixando na mão e sem poder conversar com o povo.

Acabei voltando ao Pão de Açúcar, na Urca. Lembro-me do primeiro dia que estive lá. Estava com tanto medo de andar no bondinho que acabei nem aproveitando o passeio, pensando na volta. Tudo por causa da descida. Aquela sensação de que está caindo me mata por dentro haha. Algo que eu estava a fim de fazer era o tal passeio de helicóptero pelo Rio, principalmente pelo Cristo. Confesso que, a primeira vez que fui ao Cristo, não senti aquela emoção que muitos sentem por estar diante de uma das 7 maravilhas do mundo. Mas com o tempo, achei que poderia sentir esta emoção do alto, sobrevoando a estátua. Acabei contratando um serviço aéreo e fazendo o passeio pela cidade. Nossa, fiquei muito emocionado quando sobrevoei Cristo! Meus olhos se encheram de água, me veio tanta coisa na mente, tanto boas quanto ruins. As ruins foi me lembrar de que há um tempo atrás passava necessidades e hoje, estava ali, fazendo um passeio de helicóptero pelo Rio, com o dinheiro do meu trabalho. 




Parecia algo impossível, um menino que chegou a ficar na rua sobrevoando a cidade do Rio de Janeiro. Me senti vitorioso, um vencedor, pois não precisei passar por cima de ninguém pra conseguir nada. Literalmente, achei melhor me fuder do que prejudicar outro. Estava tudo perfeito. Outro sonho, outro desejo que eu acabei conseguindo realizar.






Na volta do meu passeio, ainda na Urca, estava sentado de frente para o mar postando as fotos no meu Instagram. Estava na rua onde o rei Roberto Carlos tem duas casas. Uma que ele mora e outra onde ele guarda todos os instrumentos musicais dele. Como eu sei disso? Acabei conhecendo um vizinho do rei, que me vê sentado e acaba puxando assunto. Não rolou afinidade entre a gente. Na verdade, nem o nosso papo estava legal. Ele parece ser gente boa, mas faltou o essencial para que pudéssemos sair dali para um lugar mais reservado. Faltou química. Fomos para um barzinho perto, tomamos cerveja (ele tomou) e depois fui embora. Acabei dando uma passada no shopping (alguma coisa com sul) para jantar e me preparar pra voltar pra Resende. Ainda tinha mais serviços pela frente. 


Leia Mais ►

domingo, 10 de agosto de 2014

75º DE 365 DIAS: TÔ VIVO!

Olá, como estão? Espero que bem.
Eu, como sempre, ando com meu tempo corrido e sem muito tempo de vir atualizar aqui. Ainda estou na fase de produção do meu livro e isso toma um pouco do meu tempo. Passo a noite escrevendo.

Esta semana estava sentindo um pouco a falta de sexo. Ainda estou naquela de me masturbar, mesmo depois que saio com alguém, pois nem sempre tenho ficado satisfeito após o programa. Conheci o urso panda, um PM grandão e que gosta e muito da sacanagem. Sair com alguém que está a fim de transar é bem diferente de sair com alguém que gosta de fazer sexo. Ele é bem sacana e gosta muito de uma putaria. Todo machão, no começo se faz de inocente e de “ativão”, só come ou é chupado. Mas aos poucos vai se entregando e deixando fluir suas vontades e acaba me pedindo que alise sua bunda enquanto ele me masturba. Até me garantiu que da próxima vez queria que eu o comesse. Toda nossa sacanagem foi feita dentro do carro, ele estava de serviço, não poderia demorar muito.  Antes de sair com ele, já havia gozado e, mesmo assim, consegui gozar muito com ele, de tanto tesão que ele me deu.
Lado Bom: Matei minha vontade.
Lado Ruim: Por estarmos dentro do carro, tivemos que nos limitar das coisas que estávamos a fim de fazer, tanto por causa do espaço e pelo tempo também. Com aquele jeito másculo, eu queria mesmo era ser dominado, amarrado e ter levado uma surra dele. Na hora eu tentei, me empolguei e acabei dando uns tapas nele, mas ele com medo, disse para tomar cuidado, pois ele é casado e não pode aparecer com marcas.

Gente, mês que vem, dia 22 de Setembro é meu aniversário e gostaria muito de fazer algo diferente. Estava querendo comemorar meus 27 anos transando com 27 pessoas, todas reunidas. Será que dou conta e consigo arrumar tanta gente assim? R$r$r$

E está confirmado! Amanhã estarei à caminho do Rio de Janeiro. Fui convidado para passar o dia lá. Provavelmente, se eu ficar à noite, estarei disponível para algum compromisso. Qualquer coisa me chame no “Whats”.

Obs: Se o tempo estiver ruim, será cancelado.







Leia Mais ►

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

74º DE 365 DIAS: O SEU FINAL FELIZ, TALVEZ NÃO SEJA O MESMO QUE O MEU.


Oi, boa noite. (já é madrugada, então, bom dia).



Meu domingo eu resolvi fazer algo diferente e que há tempos venho dispensando, que é me encontrar com pessoas de outras cidades. Já fiz muito, mas com a falta de tempo devido à correria em minha vida, fica difícil estar sempre saindo de uma cidade para outra. Das outras vezes que o fiz, aproveitei pouco, sem poder conhecer melhor o charme de cada lugar que frequento. Ontem resolvi mudar. Fui solicitado em São José do Barreiro (SP) e depois do meu encontro, tive um tempinho para curtir lugares bacanas da cidade.

Tive uma saída com o PM, que era exatamente o tempero que faltava na minha comida. Ele é safado, cheio de malícias e no papo já consegue te deixar excitado. Muito pornográfico, falava em buceta a todo o momento, dizendo que come um cu, mas não dispensa uma xoxota. Por ele ser da polícia, prefiro não comentar muito sobre ele. Mas garanto que, o pênis que ele me jurou ser pequeno e fino, de fino e pequeno não tinha nada.

Eu havia ido de táxi para São José do Barreiro, então, o taxista acabou me esperando por lá para me trazer de volta. Eu acho chato quando viajo pra longe e deixo o taxista me esperando. Apesar de eles estarem acostumados, eu fico me sentindo mal por estar aproveitando enquanto o deixo trancado no carro. Depois de ter feito meu trabalho, fui num clube inaugurado faz bem pouco tempo, mas que pelas fotos já foi o suficiente para encher meus olhos. O lugar é incrível! Restaurante, lanchas, iate, passeios de balão e até área para crianças. Acabei aproveitando e aluguei uma lancha para andar pela Represa do Funil, matando a saudade que eu sinto de Angra dos Reis e meus passeios que fazia por lá. Fiquei pouco tempo, pois tive de retornar para Resende. Mas pelo menos tive uma noção do lugar. Quero aproveitando mais caso eu faça um serviço em outra cidade. Eu já conheço pessoas (muitas), agora quero conhecer lugares! Já que não tenho raízes, ninguém me segura!





Pena, sujei meu sapatenis de barro. :-(


Leia Mais ►

sábado, 2 de agosto de 2014

EXISTE UM MUNDO MUITO MELHOR, MAS CUSTA CARÍSSIMO.

Quem me conhece sabe que eu gosto de gastar e viajar. Em outras palavras, "ostentar". Pensando nisso, minha amiga confeiteira fez um bolo especialmente para mim. Ótimo trabalho, adorei o bolo em formato de saco de dinheiro. Muito criativo. E nem meu aniversário é. Por falar nisso, mês que vem completo mais uma primavera.






Leia Mais ►