terça-feira, 30 de setembro de 2014

TIRADENTES, MINAS GERAIS.

Não tem como ficar triste depois de conhecer mais um pedacinho desse mundo. O melhor de tudo, é saber que ganhei pra poder viajar.  Estava com tudo certo para eu ir até Tiradentes, em Minas Gerais. Um lugar que esperava ansioso para conhecer e sempre ouvi falar. Achei a cidade muito parecida com Paraty, principalmente o chão, com aquelas pedras todas “mal colocadas” fazendo com que torça o pé. Antes de chegar em Tiradentes, recebi outro convite, desta vez um leitor resolveu me chamar para um bate-papo em Juiz de Fora, e como era meu caminho passar por ali, acabei me encontrando com ele, numa conversa que era pra ter sido rápida, e que levou quase duas horas. O chamo de ferrugem, porque é todo pintado e ruivo. Acho lindo pessoas assim. Conversamos um pouco, pois nem um dos dois poderia demorar muito. Eu tinha que seguir viagem e ele era casado. Acabei me identificando com sua pessoa e fiz sexo oral nele, onde levei nota 10 e uma comparação. Ele disse que eu chupo muito melhor que a esposa dele e me convidou para ir até sua casa num dia em que ele fosse de estar sozinho.

Igreja Matriz de Santo Antonio - Tiradentes

Pegando o caminho para Tiradentes, acabei me cansando, pois estava sem dormir e havia saído de casa pela madrugada, para poder chegar cedo lá. Cochilei no táxi que peguei em Juiz de Fora, mas não deu pra relaxar os músculos e isso me cansou ainda mais. A cidade é linda! Pequena, mas com muitos pontos turísticos para visitar. Estava tendo um evento na cidade, uma competição de bicicletas, onde vi muitos ciclistas saírem de lá sangrando e todo ralado. Acho que o prêmio deveria ser ótimo pra fazer tanto esforço assim.


Durante a noite, a cidade estava um pouco morta. Bem diferente da hora que eu cheguei, com várias pessoas caminhando pelas ruas, mas tudo por causa do evento que estava tendo. Havia apenas algumas pessoas comendo e tomando cerveja em barzinhos e restaurantes do centro. Acabei me achando em um destes barzinhos e pedi um prato para comer. Estava com muito apetite, acabei pedindo um prato que eu tinha a certeza de que viria pouco. Mas não veio. Filé mignon com fritas foi o meu pedido, e acabou vindo em grande quantidade. Não esperava tanto. Um grupo de amigos que estavam na mesa ao meu lado se espantaram quando perceberam que eu iria comer tudo aquilo sozinho, e para registrar o momento, começaram a tirar fotos minha comendo.

Depois disso ainda me encontrei com duas pessoas, o mancha e o vovô. O mancha estava indo embora da cidade, não tivemos muito tempo juntos, apenas demos uns beijinhos e pronto, ele tinha que ir embora. O vovozinho foi outro, que fica empolgado quando me vê na rua e me mostra seu pinto pra chamar minha atenção. Af! Estávamos na rua, como ele me faz uma coisa dessas?! Mas, pagando bem, que mal tem. Não precisei de muito, bastou uma punhetinha rápida e ele se contentou. Estava bem vestido, imaginei que fosse alguém bem importante, ainda mais depois de ter visto seu carro importado. Depois disso acabei voltando para o hotel, precisava descansar, pois iria embora pela madrugada.  

Passeio de Maria fumaça de Tiradentes até São João Del Rei.

Eu adorei conhecer a cidade, mesmo que por um dia, a experiência foi muito boa. Não vi esta viagem como uma forma de trabalho, mas, sim, um jeito divertido de ganhar experiências de vida, aprendendo muito sobre cada lugar que passo.




Leia Mais ►

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

FELIZ ANIVERSÁRIO PRA MIM!!!




O primeiro presente que recebi hoje veio de Deus. Acordei vivo! O segundo presente de aniversário foi de São Pedro. O tempo hoje estava lindo! Pelo que soube, estava chovendo durante a semana aqui em Ubatuba, e hoje, no meu aniversário o tempo melhorou. Acabei indo pra praia, uma que fica nos fundos do resort onde estou hospedado. A praia de Itamambuca é gostosa, mas pra quem gosta de ficar na areia, pois o mar é muito agitado. Fiquei tostando no sol, até achar outra praia para que eu pudesse mergulhar. Acabei indo para a Praia Alta. Uma praia isolada, pequena, mas que gostei muito de ficar.

Mais uma vez destaco a eficiência dos funcionários do resort, que me trataram ainda melhor hoje. Com tanta atenção e respeito, sinto vontade de ficar muito mais tempo aqui.
Fiquei muito feliz com todas as mensagens de parabéns que recebi hoje. Enquanto estava almoçando, observando o resort em minha volta, achei tudo normal, como se eu estivesse em casa. Só depois me dei conta da “gravidade”, e percebi o quão longe eu havia chegado. Deus tinha planos na minha vida, só não imaginava que seria com tanto luxo assim. Ahh, eu queria muito que vocês me vissem antigamente, andando descalço, rasgado ou com prego remendando o chinelo. Não tem nada a ver com o garoto vaidoso que me tornei hoje.


Teve momentos na minha vida que eu tive a certeza de que Deus não existia. Eu não conseguia aceitar que alguém (no caso, eu) pudesse sofrer tanto na vida. Mas aprendi que as coisas acontecem no tempo dele, não no meu. Hoje, percebo que tenho tudo aquilo que um dia eu pedi pra ele. Fiquei muito emocionado por chegar tão longe, por ser tão vitorioso, e o melhor de tudo, sem prejudicar ninguém. Muito obrigado a todos que me escreveram. Vocês fazem parte da minha história. 


Leia Mais ►

domingo, 21 de setembro de 2014

RESORT - UBATUBA



Cansei de sempre ficar deprimido quando chega a época do meu aniversário. Ficar chorando por estar completando mais um ano de vida, não é algo bom para a mente. E estava me deixando péssimo por completar meus 27 anos. Decidi comemorar de um jeito diferente e acabei vindo para um resort, o Itamambuca Eco Resort, aqui em Ubatuba - SP. Um lugar lindo, cheio de verde por causa da mata atlântica. Logo na entrada do resort já fiquei apaixonado pelo lugar. Os funcionários são extremamente educados, atenciosos e a comida ótima! Amanhã comemoro meu aniversário aqui, em alto estilo.



Ah, era bobeira eu ficar semanas antes do meu aniversário pensativo, triste por ficar mais velho. Decidi que, agora, vou comemorar cada ano de vida, pois é mais um ano de luta, vitória, decepção, amor, raiva e paz. Anos de coisas ruins, mas boas, também. Mais um ano que meus inimigos vão ter que engolir por saber que estou vivo, bem, curtindo meu aniversário num lugar cheio de requinte. Enquanto eles, os que me criticam, estão balançando bandeiras e faixas de deputados no sinal, debaixo do sol quente.  É muito engraçado, sempre ouvi eles dizerem (me xingar) que eu não chegaria longe, e olha onde eu estou agora. E olha onde eles estão. Não corri atrás das minhas coisas pra ter que provar a todos que sou capaz, eu corri atrás das minhas coisas, foi pra que eu realizasse meus sonhos e ficasse em paz, mas comigo mesmo.


Neste meu aniversário, desejo que todos aqueles que me ofenderam se tornem felizes o resto da vida e conquistem seus objetivos. Desejo isso, pois pessoas felizes, não enchem o saco! Mas fora isso, desejo que tenha vida longa, pra que continue assistindo minhas idas e vindas. Minhas vitórias! Não fique me julgando pelo que eu faço, pois não ganho dinheiro no mole, como muitos pensam. Não me condene por conseguir as coisas e vocês não. Isso se chama inveja, e prejudica somente a você. Quer algo de verdade? Coloque seus joelhos no chão e peça pra Deus, não incomode quem lutou muito na vida pra conseguir o que tem hoje. 






Leia Mais ►

terça-feira, 16 de setembro de 2014

ESCALEI O PICO DAS AGULHAS NEGRAS – 6ª MONTANHA MAIS ALTA DO BRASIL!

Estava tudo certo para eu ir passar um dia no resort, em Mangaratiba. Já tinha visto os valores, os passeios que iria fazer e até minha suíte. Dormi animado, mas acordei com outros planos. A vontade de ficar na praia tinha passado, eu estava querendo naquele momento era aventura! Acabei ligando para um amigo e pedi que me levasse até o Pico das Agulhas Negras, que fica no Parque Nacional de Itatiaia, um lugar que me encantou quando via as fotos de plantas e animais que só vivem lá no alto. O Pico das Agulhas Negras, com 2 791,55 metros de altitude, é o ponto culminante do estado do Rio de Janeiro, a quarta montanha mais alta do estado de Minas Gerais, e a sexta montanha mais alta do Brasil. Saí cedo de casa, chegamos ao parque por volta das 11h00min, foi quando iniciamos nossa caminhada. Eu sabia que o lugar era bonito, longe (mas nem tanto), alto (mas nem tanto) e tranquilo. Mas não imaginava que pudesse ter tantos perigos escondidos entre as rochas, tendo como chão um abismo.

 
Pouco antes de chegar ao topo

A ida estava sendo tranquila. Fomos conversando, nos distraindo com a beleza do lugar. Mas isso até certo ponto. Tínhamos esquecido a garrafa de água dentro do carro. Não deu outra, o cansaço por causa da sede acabou me pegando no meio do caminho. Precisava de água pra me dar aquele empurrão na subida, pois o caminho ainda era longo.


Meu amigo disse: “leve blusa de frio, pois lá em cima é muito gelado”. Ouvindo isso, acabei me preparando para uma nevasca. Calça, camisa polo e mais duas blusas na mochila. Pela forma que ele falou, achei que fosse ver neve quando chegássemos ao pico. Estava esperando um frio tipo de Campos do Jordão, mas não foi bem assim. Estava quente, com sol, tempo muito agradável, e eu derretendo com uma roupa de inverno e que me custou caro, tanto à roupa que comprei quanto os estragos que acabei fazendo nela, pois não imaginava que o caminho fosse um labirinto, cheio de sobe, desce e de se enfiar entre as rochas. Nunca imaginei que um dia eu fosse escalar uma montanha de pedras, sem equipamentos E NA MÃO! Só consegui ter tato, pois a cada pedra que eu subia, olhava pra baixo e via o abismo, de tão alto. Das duas uma, ou segurava forte, ou morria com a vertigem e caía daquela altura.

Tentei ficar de pé na pedra. Mas não tenho muito equilíbrio.


Foi melhor do que fazer aula de yoga. Me alonguei todo!

No alto, (aquele pontinho branco) estava o grupo que encontramos mais tarde

Quando chegamos ao topo, encontramos com um grupo de turistas que estavam se aventurando como a gente. Mas muito bem equipados com cordas, água e bem hidratados. Eu fiquei constrangido, pois entre eles, havia pessoas de idade. E eu ali, quase morrendo. Mas como disse, eles estavam equipados com suprimentos. No alto do pico, tem um livro de assinaturas, onde todos que sobem deixam registrados uma mensagem. A meta era chegar lá, mas não consegui. Meu amigo andava com facilidade entre as pedras, parecia um macaco-aranha, subindo pela quina da montanha, bem na pontinha. Eu passava mal só de ver.

Meu amigo me deixando nervoso, querendo ir na ponta da pedra.

Se eu fosse de me levantar, eu ia cair. Com medo, fiquei sentado.




Faltava apenas uma rocha para eu escalar e chegar até o livro, que fica dentro de uma caixa de ferro. Mas não dava mais. Estava sem tato, tonto, com sede e fraco. Acabei trapaceando e pedi ao meu amigo que jogasse o livro pra mim, só assim para eu assinar. O caminho que ele achou para subir era muito arriscado, com certeza eu iria cair se fosse tentar subir por ela. E olha que, era bem curto, seria uma subida rápida, mas a minha queda também seria pior. Teve momentos que eu tinha a certeza de que iria morrer. Sério, não é suposição, eu realmente achei que fosse morrer com a queda, pois estava fraco, pensei que fosse desmaiar. O caminho todo, ida e volta, deu mais ou menos umas 6 horas de caminhada e sem água! Depois que eu desci e cheguei em casa, pude dar risada do que aconteceu. Das vezes que eu deitava nas rochas e ficava, desfalecido olhando para baixo, aumentando ainda mais o meu medo. Mas no fim, senti MUITA adrenalina, me senti vivo, senti meu coração bater na boca e assinei o livro.

Assinatura no livro (caderno). Eles sempre renovam, pois muitas pessoas o assinam.
estava tremendo, saiu meio torto haha. Neste ponto, faltava uma pequena rocha para escalar, a qual desisti por medo.


Leia Mais ►

domingo, 14 de setembro de 2014

O FORNINHO CAIU!

Esta semana está sendo difícil pra mim. Não basta minha rotina do dia a dia, agora resolvi entrar numa academia para sair do sedentarismo. Eu acordava tarde, meio-dia era o horário que minha "manhã" começava. Pensando nisso, resolvi sair dessa rotina e mudar radicalmente meus horários e alimentação. Quero me tornar alguém mais saudável. Bom, tô tentando. Acordo às 6 da manhã, preparo minha roupa e vou malhar. Tirando as dores musculares e os quase desmaios que eu tive na academia, é gostoso acordar cedo e aproveitar mais o dia... Só que, não!

Cara, como eu sou burro! Estava indo malhar pela manhã sem me alimentar. O resultado disso, era fraqueza depois de 50 minutos de musculação. É difícil ter fome e comer pela manhã, mas até nisso tô tentando me reeducar, pois quase todos os dias fico tonto quando fico mais de 30 minutos na esteira.

Minha vida noturna acabou! Não fico mais dando uma de sonâmbulo acordado na madrugada. Malho de manhã, trabalho a tarde e quando chego em casa, só consigo tomar banho e cair na cama. Agora só preciso arrumar um tempinho para não sair no prejuízo e perder clientela hahaha. A pior parte da malhação está sendo as dores no corpo. Tem dias que não consigo levantar os braços, até na hora do banho complicou um pouco. Uns dizem que é normal, outros afirmam que estou malhando errado. Não sei, só sei que dói muito e não consigo fazer nada.


Os remédios para dores musculares se tornaram meus aliados. Sempre ao meu lado no combate às dores. 

Boa tarde...



Leia Mais ►

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

CASTELO RÁ-TIM-BUM, SÃO PAULO

Há tempos estava marcando de ir para São Paulo visitar a exposição do Castelo Rá-Tim-Bum, no Museu de Imagem e Som, mas o medo da cidade grande, assaltos e tumulto acabaram me deixando com medo de ter ido conhecer antes.


Ontem, acabei chamando uma amiga para ir comigo, assim me sinto mais seguro tendo alguém do meu lado. Não sei exatamente se era medo ou ansiedade que eu estava sentido, afinal, São Paulo é uma cidade que estou pra conhecer faz tempo. Minha amiga mesmo disse: “Você foi pra Buenos Aires e Salvador sozinho, e está com medo de São Paulo?”. É, nem eu sei explicar isso.


O Castelo Rá-Tim-Bum é um programa que fez parte da minha vida. Impossível não gostar e ficar encantado com um programa de Tv dos anos 90 que, praticamente, educou a mim e a muitas outras crianças da época. Chegando em Sampa, no museu onde estava acontecendo a exposição, veio a surpresa. Não tinha mais ingressos para o dia! Quando fomos ao guichê e o rapaz disse que havia esgotado, meu dia terminou ali mesmo. Faltou pouco para chorar, mas me seguirei. Cheguei a ler na internet relatos de pessoas reclamando do tratamento dos funcionários do museu, afirmando que estavam agindo de má vontade. Sim, eu também percebi isso. O mesmo rapaz que havia nos informado que os ingressos tinham se esgotados, poderia ter informado que, muitos acabam deixando de ir à exposição e devolvem os ingressos na bilheteria, ou até mesmo que alguém que estava na fila, poderia estar a fim de vender os ingressos que estavam com eles. Pois ontem, a entrada era gratuita. Só que ele não nos informou isso e graças a minha amiga, ela saiu perguntando para o pessoal da fila quem estava a fim de vender os ingressos. Ninguém se habilitou, também, se fosse alguém querendo comprar o meu, com certeza eu não venderia. Na fila, conhecemos duas meninas de Recife que acabou sendo de grande ajuda. Após as mesmas recusarem vender seus ingressos para mim, ela informou que uma mulher tinha acabado de fazer uma devolução de 4 ingressos. Voltamos na bilheteria e, por sorte, tinha apenas 1 disponível. Com o tempo, minha amiga conseguiu outro para ela.
Nossa, fiquei me sentindo tão privilegiado por estar diante do cenário e alguns objetos originais do programa. Nunca imaginei na vida que fosse um dia entrar no castelo. Foi emocionante. A grande maioria das pessoas lá eram todos adultos. Pessoas que, como eu, há anos atrás curtia o programa. Hoje em dia, crianças desconhecem e não gostam do Castelo Rá-Tim-Bum, o que pra mim, chega a ser até falta de cultura. Crianças na fila, até que tinha, mas o foco mesmo era os marmanjos, que chegam às 5 da manhã para conseguir um ingresso para às 15:00 hrs.





A intenção era de ficar um pouco mais em Sampa, mas eu estava todo dolorido devido ao exagero na malhação no dia anterior. Não conseguia me mexer direito. Saímos do museu e viemos embora.

Lado Ruim: Conheci também o lado grosso dos paulistanos!  A primeira reação que eu tive quando o garoto (gay) da bilheteria afirmou ter acabado os ingressos, foi de ir embora na mesma hora. Imagino quantas pessoas saíram de longe com o mesmo propósito e quebraram a cara por ele dizer que não tinha mais ingressos. Nota 0 para o tratamento dele, que sabia que na fila poderia haver pessoas com ingressos sobrando. Exatamente o que outro funcionário fez, perguntou para todos da fila se tinha alguém com ingresso a mais pra dar a outra pessoa.




Mais um dia vivido. Outro desejo realizado.



Leia Mais ►

sábado, 6 de setembro de 2014

80º DE 365 DIAS: DAY OF SEX AND BUSINESS

De garoto de programa criticado, passei a ser bem requisitado para trabalhos sexuais e agora, até para ser dono de pequena empresa. O taxista é alguém que soube das minhas idas e vindas dentro de um táxi. Eu senti que ele veio até mim mais na intenção de me ganhar como cliente do que fazer sexo. E foi mais ou menos assim. Ficamos bem íntimos. Ele soube me cativar bastante. Deixou um pouco a desejar na hora do sexo, pois ele tenta me penetrar sem lubrificação e acabou sendo um pouco desconfortável. Mas acabei gozando. Depois do primeiro tempo, ele toma um banho enquanto o aguardava na cama, ansioso para mais uma rodada de sexo. Não teve outra rodada. Ele falava de coisas sem a menor importância pra mim, coisas que desanimavam. Papo vai, papo vem, ele toca no assunto que ele queria chegar. Eu já estava vestido, esperando que me levasse embora, quando ele começa a falar sobre sua ideia. Escrevi há um tempo que não tenho carro, pois se eu fosse de ter, iria querer também um motorista. Sendo assim, ando de táxi. Ele, com sua ideia brilhante, me ofereceu seu ponto de táxi para trabalhar. Não que eu fosse sair por aí dirigindo ou sendo taxista, mas ele estava a fim de me vender seu ponto, seu carro e trabalhar para mim, sendo meu motorista particular e de quebra taxista. Achei a ideia boa, e o valor que ele pedia bem em conta. Eu teria um ponto de táxi, alguém trabalhando pra mim e de quebra, um motorista pra me levar aonde bem entendo. Mas passei a bola. Mal tenho tempo de cuidar da minha rotina, minha vida particular, quanto mais de um ponto de táxi, onde a responsabilidade será beeem maior. Iria ganhar dinheiro com isso, até queria mesmo abrir um negócio, mas estava pensando em algo aplicado na bolsa de valores ou algo parecido. Resumindo: algo fácil. De complicado já basta eu! Hahaha.


Leia Mais ►

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

79º DE 365 DIAS: O RIQUINHO

       

Eu achei que ele estivesse apenas tentando me impressionar. Me dar presentes e champanhe caro, pode até encher meus olhos, mas não dispenso uma barraquinha de cachorro quente. Ele parecia um príncipe. Educado, bem de vida e família conhecida. Não faz a linha arrogante como a maioria das pessoas da cidade. Fiquei feliz por conhecer alguém assim. Rico, mas humilde.
Um cara extremamente carinhoso, que me pareceu cansado com tantas pessoas interesseiras a fim de seu dinheiro. Logo de cara, assim que chegamos em sua casa, ele me deu garrafas de champanhe (uma fortuna! Fiquei sem jeito em aceitar) por saber que eu gosto. Como eu disse, achava que estava fazendo cena, criando situações pra se sair bem. Mas na verdade, quem criou toda essa imagem de "glamour", acabou sendo eu. Vivo dizendo gostar de coisas caras, vinhos, champanhe e perfumes importados. Sim, é verdade! Mas isso não quer dizer que eu não possa ser conquistado com um copo de caldo de cana ou refrigerante (exceto guaraná, detesto). Eu, por " ostentar" tanto, acabei passando a imagem de "puto da alta sociedade". Mas sou simples, moro num lugar muito simples. Apenas gosto de coisas boas. E tudo que é bom, custa caro. Ele não esperava isso. Estava achando que encontraria alguém fútil e que só saiba falar em " marcas e grifes". Viu que sou diferente nesse quesito.

O último com quem conversava me disse: "fica aí, conversando com seus amigos ricaços e me deixa de lado!". Não escolho ser amigo por classe social. Só não tenho culpa de, no presente momento, estar fazendo parte dele, conhecendo muita gente endinheirada.

Ando de helicóptero, gasto, consumo… mas ainda continuo sendo aquele garoto apaixonado por coisas simples do dia a dia. Então, não pensem que só vão chamar minha atenção com artigos de luxo, coisas simples me emocionam muito.
 

               

OBS: Eu também como marmita hahaha. Pelo menos eu assumo. Diferente de algumas pessoas, que sentem vergonha de dizer isso.


Leia Mais ►

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

HELLO!

Olá. Boa noite.

Galera, quero pedir desculpas a todos que me procuram. Estou num momento em que quero mais aproveitar do que trabalhar. Por isso tenho dispensando algumas pessoas que, diariamente me ligam querendo um encontro. Nesta quarta-feira, estou planejando de ir até São Paulo, mas é algo que ainda estou pra confirmar. Tenho tido meus encontros, mas sem tempo de vir postar. Ou estou dormindo, comprando ou viajando hahaha. Meu site está mais parecido com o Guia 4 Rodas do que um site de garoto de programa. Mas enfim, estou aproveitando muito e planejando mais uma viagem internacional. Preciso organizar ainda mais meu tempo, pois estou para contratar um professor de inglês particular e preciso ver os horários. Tentei me matricular em alguns cursos, mas dos horários disponíveis pra mim, só tinha alunos com idade entre 10 e 18 anos. Estudar com crianças, não rola. Por isso, estou pensando em contratar um teacher particular.

Já estou atrasado, preciso sair...


Um abraço, galera. Posso estar um pouco ausente aqui, mas sempre estou presente nas redes sociais (Twitter e Instagram).




Leia Mais ►