quinta-feira, 20 de novembro de 2014

OSSOS DO OFÍCIO

Tinha marcado com o Neguinho de nos encontrarmos às 19h00 na minha casa, mas ele se atrasou e acabou chegando 22h30. Já havia atrapalhado todo meu esquema da noite por conta de seu atraso, mas deixei passar. Ele veio de Volta Redonda pra cá, e sendo tarde, não haveria jeito de ele voltar. Ele acabou dormindo comigo esta noite. Ele é um dos poucos negros que eu vejo não ser dotado, e quando isso acontece, eles acabam sendo passivos comigo. Na boa, é um tesão poder comer um negro! 
No começo estava bom, acabei o torturando do meu jeito, fazendo com que seja submisso a mim. Metendo forte, dando tapas e até cuspindo no coitado. Depois da primeira gozada, acabei virando de lado para dormir. Ou melhor, tentar dormir. Durante à noite, ele não parava de me alisar, me agarrar e me despertar para mais uma rodada de sexo. Não estava no combinado de ele dormir comigo, acabou ficando, pois não o deixaria na rua, sendo assim, eu queria ter dormido durante a madrugada. Um calor infernal e ele agarrado a mim. Às vezes eu o empurrava, ele se afastava, mas logo voltava a me agarrar, abraçar e ficar com seu rosto em cima do meu, aumentando ainda mais o calor. Eu cheguei a ficar com falta de ar, estava me sufocando, e ele nem percebeu!
Com o tempo acabei ficando animado. 


Acabou me vencendo pela insistência, pois naquele momento, eu precisava dormir. Acordei e logo o coloquei pra me chupar, fiquei empolgado e o viro para comer sua bundinha. Desta vez ele estava sentindo um pouco mais de dor, e toda vez que tentava encaixar meu pinto nele, acabava desviando, e foi indo assim até me machucar e me fazer perder o tesão. Tive que ir indicando o caminho e falando o que devia e não devia fazer: "Mais devagar! Enfia primeiro, depois rebola! Me chupa! Lubrifica!" e assim foi indo... Para que eu pudesse ter (ou tentar) uma noite de sono, ele precisava gozar. Como havia me machucado e meu tesão ido embora, ficamos na punheta, mas não adiantou muito. Ainda estava com calor, eu continuei o empurrando, e desta vez, fiquei com a cara na parede, porque ele ocupou toda a cama.


Um comentário:

Fala que eu te escuto