terça-feira, 17 de março de 2015

O TEMPO NÃO PARA...

Estas últimas semanas têm sido difícil para mim. Minha sobrinha estava grávida, a criança nasceu com vida, mas faleceu logo em seguida. Gravidez arriscada, teve o bebê com 5 meses de gestação, ainda não estava tudo formado, mesmo assim conseguiu nascer vivo. A felicidade por ter tido mais um sobrinho foi grande, já havia comprado alguns mimos para aquele que faria passeios e viajaria comigo. Já estava planejando nosso futuro, e seria perfeito. Mas Deus achou melhor levá-lo. Fiquei triste, mas aceitei...

A vida continua...

Hoje já marquei encontros, programei viagens, inclusive a trabalho. Já tenho muito serviço em outros lugares. Tô sentindo que meu prazo de validade está se esgotando. Não sinto (e nem preciso) mais aquela necessidade de ganhar rios de dinheiro. Pois foi somente por isso que ingressei nessa vida. Foi bom, ganhei bastante, mas agora, acho que está na hora de parar. Com quase 90% de certeza do que estou falando, talvez minha carreira termine até o fim do ano, onde se Deus permitir, estarei com meu livro terminado.

Acabei tendo uns encontros que me deixaram bem animadinho hoje. O primeiro foi um casal de amigos que resolveram se aventurar. O bom quando rola sexo a três é que eu nunca fico de fora e nunca sobra ninguém. Todo mundo na hora sempre arruma algo pra fazer. E por consciência mesmo, eu procuro dar atenção aos dois, para que não demonstre estar interessado mais em um do que no outro. Rolou uma sacanagem gostosa entre nós três, que acabou me rendendo duas gozadas seguidas.

O outro foi um que curte sexo mais “pesado”, na verdade sexo sujo. Curtia cheiro de cê-cê e pica com sebo.  Bom, isso não é minha praia. Até curto um cheiro de homem, mas chupar pau sujo, acho que não teria coragem. O cara tinha um belo instrumento, mas o problema era o fedor de cê-cê que ele tinha. Que na sua fantasia, o deixava mais estimulado. Não consegui ter relação com ele e menos ainda fazer sexo oral naquele pinto sujo. Vou me lembrar daquela cena em todas as minhas refeições.

Tirando a parte que algumas pessoas afeminadas são “espalhafatosas” e sem o mínimo de discrição (o que me incomoda muito), eu até que resolvi me arriscar com um hoje. Ele me pareceu tão honesto e sincero, que mesmo sendo “afetado” acabei saindo com ele. Foi uma pena, pois na cama ele agia como homem, falava grosso e dava ordens. Mas o problema não foi esse. Problema mesmo, foi continuar com tesão depois que ele goza quando começa  a fazer oral em mim.


Um comentário:

  1. Hiago,pode me add no whtap ? Queria tirar umas dúvidas com vc, 21 983371466 ,
    Att,abcs.

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto