06 maio 2015

PORTO SEGURO - BAHIA


Minha primeira parada dessa minha turnê está sendo aqui em Porto Seguro, na Bahia. Cheguei ontem à noite na cidade e aproveitei um pouco dela, especificamente a Passarela do Álcool, uma rua cheia de barracas com bebidas, lembranças e artesanatos. Muito bacana!

Hoje meu dia foi mais intenso. Passei a manhã toda na praia, e na parte da tarde fui conhecer uma cidade local, chamada Arraial D’Ajuda. A cidade também tem belas praias, mas o que me chamou a atenção foi um passeio de quadriciclo. 


O horário do passeio é de manhã e no fim da tarde, mas eu não estava a fim de fazer o passeio com outras pessoas, então, acabei pedindo um passeio mais exclusivo. Ele me ofereceu esse passeio noturno, indo pelas trilhas e passando pela praia, pra ver a lua nascendo do mar. Nunca peguei num quadriciclo na vida, nem quando pequeno. Fiquei com medo achando que fosse fazer alguma besteira, mas foi tudo perfeito.




Depois do passeio, ainda fiquei em Arraial D’Ajuda para conhecer alguns pontos da cidade. Muito aconchegante e acolhedora, um pouco diferente de Porto Seguro, onde achei as pessoas parecidas com as de Resende: Secas e estúpidas! Achei estranho esse tipo de tratamento, pois geralmente as pessoas da Bahia são abertas e educadas. Salvador, por exemplo, toda vez que vou lá sou muito bem tratado. Agora, aqui em Porto Seguro, não senti tanta firmeza. Até o hotel onde estou hospedado tem atendimento ruim. Os funcionários são totalmente despreparados e hoje no almoço eu pedi C-L-A-R-A-M-E-N-T-E filé mignon, o garçom foi e voltou brincando com o pessoal da cozinha e quando me trouxe o prato, era frango. Juro, perdi a fome. Sem contar que, parece que estão fazendo um favor pra mim me hospedando aqui, não são muitos cordiais no atendimento e deixam muito a desejar. Quase uma segunda Resende.

Tirando isso, até que curti o dia. Esqueci de passar o protetor e estou todo assado!


Ah, conheci um rapaz que está de passeio aqui também. Eu estava na praia deitado na areia, quando resolvo tomar banho de mar pra me limpar. Vi um cara bonito andando pela praia e meu radar identificou que ele “curtia”. Bom, fui tomar banho e ele também entra na água. De longe ficou aquele “namoro”, ele me olhando, nadava, passa por mim, me cumprimenta e assim foi. Acabei fazendo minha “dança” do acasalamento: saio do mar, arrumo a bermuda, coço meu pinto, arrumo ele na cueca e volto pro mar. Pronto, isso é o som do acasalamento para atrair a fêmea. Ele vem até mim pedindo informação (como se eu pudesse ou conhecesse o lugar), ele estava de sunga e acabei percebendo que veio falar comigo já excitado. Vou fisgar um peixão, pensei comigo mesmo. A gente conversa, ele me fala sobre ele, eu sobre mim e blábláblá. Como vi que ele estava demorando pra chegar junto, acabei encostando minha mão na dele. Daí o mar ficou pequeno e começamos a nos agarrar dentro d’água. Estávamos afastados dos outros banhista, então, ficamos tranquilos, pois não seríamos pegos. Ele é todo gostoso, gaúcho e muito bonito. Acabei descobrindo que estamos hospedados no mesmo hotel e ele vai embora no mesmo dia que eu. Excitado, ele acaba gozando em mim, dentro do mar. Simples, na hora de gozar, ele se levanta mostrando sua nudez (sem se importar de ser percebido a distância) e goza em mim. 


Anterior Proxima Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto