segunda-feira, 24 de agosto de 2015

CONFISSÕES DE UM GAROTO DE PROGRAMA

Minha vida ultimamente tem se parecido muito com a personagem do filme Confissões de Uma Garota de Programa, onde ela desabafa com seu taxista os encontros com clientes. Arrumei um parceiro bem parecido, onde ele gosta de saber os detalhes de cada encontro, tira suas dúvidas e ainda me relaxa, para que eu tenha uma grande noite.


Muita gente fala que não existe o termo “ex-garota (o) de programa”. Será que isso se encaixa para ex-traficante ou bandido? Meu encontro em Taubaté foi com um ex-traficante, que hoje em dia acabou se tornando usuário e desfruta de tudo que conquistou com o tráfico. Nunca tive contato direto com drogas pesadas, apenas (infelizmente) tive que presenciar pessoas usando perto de mim. Meu cliente tem nome de anjo e uma alma boa. Me senti incomodado quando ele fuma (cheira, sei lá) crack perto de mim. Era algo que eu não desejava ter visto. Eu consegui enxergar muito além daquela imagem de uma pessoa agitada, por ter acabado de inalar substâncias químicas, consegui ver uma pessoa brilhante com um futuro maravilhoso pela frente, mas que precisa se livrar de certos vícios para que isso se concretize. Naquele momento não era o garoto de programa ali presente, mas um psicólogo, ou um amigo preocupado em ver um rapaz de 26 anos naquela situação. Nessas horas minha mente fica perturbada e começa a acumular tudo de ruim que presenciei. Vêm aquelas imagens e várias coisas que vi e ouvi.


Este é um mundo muito difícil, que só os fortes sobrevivem. A prostituição não é um mar de rosas. Mesmo quando você muda de fase e passa a ser considerada uma pessoa glamorosa, você acaba convivendo com a realidade de um mundo de pessoas com mentes perturbadas. Se eu contar detalhes de tudo que eu presenciei, vocês vão achar que praticar necrofilia é a coisa mais normal do mundo. Coisas que, infelizmente o mercado negro acaba facilitando para a realização de fantasias macabras para muita gente, como por exemplo, o dia que meu cliente estava ansioso pela compra de um corpo mutilado para usar como boneca inflável. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto