29 agosto 2017

ARACAJU - UMA VIAGEM QUE DEIXOU SAUDADES



Pensa numa cidade que sua intenção era apenas passar uma noite e acaba permanecendo um mês no local. Foi assim que aconteceu quando conheci Aracaju. A cidade por ser pequena facilitou que eu fizesse amizade com todos. Conheci muita gente nesse período que fiquei na cidade.

Meu único motivo pelo qual saí, foi por esta ficando entediado. Minha rotina era assim: Hotel, restaurante e praia. Não fazia mais nada de diferente, e o que era pra ter sido uma viagem de férias e relaxar, acabou caindo na rotina.

Mas valeu muito a pena. 







Numa das vezes que voltei, resolvi fazer esse trajeto de ônibus. Eu sempre ouvi histórias de pessoas que viajam pelas estradas e dizem que é gostoso passar por várias cidades. Resolvi fazer o teste e fui a caminho de lá. Foram dois dias de viagem, passamos por tantos, mas tantos lugares que nunca tinha ouvido falar. Mas quando me deparava com uma vista linda na estrada, todo o cansaço acabava valendo a pena.

Recomendo ir acompanhado, pois sozinho, além de ser ainda mais cansativo, você fica entediado quando no meio da noite está todo mundo no ônibus dormindo e você o único acordado. Não sei se repetiria esta aventura de novo. O bom é que você acaba tendo tempo de sobra pra pensar na vida e se organizar. 


28 agosto 2017

COMO É O DIA A DIA EM UM PROSTÍBULO DE BANGLADESH



Bangladesh é um país asiático que possui uma grande fronteira com a Índia. Apesar do país ser em sua grande maioria muçulmano, a prostituição é completamente legalizada. É no distrito de Tangail, que existe um dos bordéis mais antigo de todo o pais. O bordel Kandapara tem nada mais e nada menos do que 200 anos e também é considerado o segundo maior de Bangladesh.

Uma jornalista Alemã chamada Sandra Hoyn foi até o país, especialmente com o objetivo de documentar como é a vida dentro do Kandapara, visto que o bordel é basicamente uma pequena cidade murada, que abriga centenas de mulheres que vivem ali.

Segundo a própria jornalista: “- O bordel é como o seu próprio microcosmo, é uma cidade em uma cidade. Nas ruas estreitas, há barracas de comida, lojas de chá e vendedores ambulantes. Passei todos os dias de manhã até à noite no bordel e alguns dias eu esqueci onde eu estava. Às vezes era como a vida cotidiana em outra cidade com as suas próprias regras”.

Apesar da pseud liberdade que a estrutura do bordel posse passar, uma vez que é um lugar fechado e protegido, as prostitutas não são tratadas como cidadãs comuns.


Elas não possuem direito algum, são proibidas de ultrapassarem os muros da Kandapara, e se quer são autorizadas a ficar com todo o dinheiro que elas fazem, visto que o local, obviamente possui um dono.

A grande maioria das meninas são extremamente pobres, e foram traficadas, abandonadas ou até mesmo nasceram dentro do bordel. Por isso, apesar de na teoria, as prostitutas precisarem ser maiores de 18 anos, na prática as coisas não são bem assim. A maioria delas chegam ao bordel nessas condições mencionadas acima, e começam a fazer programas com 12 a 14 anos.

Para se passarem por mais velhas, muitas recorrem a utilização de esteroides, que geralmente são usados por agricultores para engordar o gado, o objetivo é além de parecer mais velha, encorpar e conseguir agradar aos clientes.

Além disso o sistema de valores dentro do bordel funciona de maneira sistemática, uma vez que a beleza e idade de cada menina é que determina o seu preço. De um modo geral, as prostitutas desse local, ganham uma média de 1000 a 2000 Taka diários, que é o equivalente a 35 a 71 reais por dia. Visto que o preço médio do programa é de 300 Taka, o que em nossa moeda seria o equivalente a 10 reais.
Confira agora, as fotografias realizadas por Sandra Hoyn, e entenda como é o triste dia a dia dessas fortes mulheres:

1- Papia, tem 18 anos, teve um casamento abusivo e precoce, e foi parar no bordel após cumprir a sua condenação em um presídio, por usar heroína.


2- Dipa de 26 anos, está grávida de dois meses de um cliente, e infelizmente já sabe qual será o destino de seu bebê caso tenha uma filha mulher dentro de Kandapara


3- Algumas mulheres a espera de clientes


4- Mim, de 19 anos de idade, tomando uma ducha


5- Muitas crianças nascem em Kandapara, abaixo os gêmeos de apenas 5 dias, são filhos de Jhinik, uma jovem de 20 anos que ainda não deu as crianças um nome



6- Preservativos usados que foram descartados do lado de fora do bordel


7- Pakhi, 15 e Mim, 19, desfrutam de um momento livre


8- Priya, 19, é abordada por um cliente que tenta beijar sua bochecha, ela começou a trabalhar no bordel aos 17 anos de idade


9- Priya, brincando com um amigo durante um momento de descontração


10- Pakhi, 15 anos, foi obrigada a se casar aos 12 e fugiu logo em seguida, aos 14 anos um homem a encontrou na rua e a vendeu para o bordel



11- Sumaiya, 17, e o seu cliente fixo Titu, 23


12- Clientes a espera pelas ruas de Kandapara


13- Meghla 23, começou a trabalhar aos 12 anos em uma fábrica, mas foi vendida ao bordel por um homem que lhe prometeu um trabalho melhor


14- Asma, 14 , com um cliente. Ela nasceu no bordel e dançava para os clientes, na idade atual começou a também fazer programas


15- Asma, 14


16- Kajol, não sabe sua idade ao certo, mas acredita ter 17 anos. Ela teve um casamento forçado aos 9, e ao tentar fugir foi vendida por sua tia ao bordel. Atualmente com um filho de 6 meses, ela foi obrigada a ter relações com os clientes 2 semanas após o seu nascimento



Em Kandapara todos sabem que existem regras a seguir e que as hierarquias de poder são diferentes daquelas da vida fora do prostíbulo. As meninas geralmente têm 12 ou 14 anos, elas são muitas vezes vendidas por suas próprias famílias pobres e se tornam de propriedade da Madame (a dona do bordel).

Não há direitos, só deveres. A maioria começa nesta vida para pagar dívidas, mas em dois anos acabam se vendo em um beco sem saída porque, em teoria, uma vez resolvido o problema financeiro, essas mulheres poderiam sair, mas preferem ficar. A sociedade as rejeitam, são estigmatizadas, marginalizadas e fica então impossível encontrar outro emprego. Sendo assim elas continuam nessa vida.

Muitas delas nasceram ali mesmo, no prostíbulo Kandapara localizado no distrito de Tangail em Bangladesh, um dos poucos países muçulmanos onde a prostituição é legalizada.
Uma fábrica de sexo que "emprega" mais de 700 mulheres, a mais antiga do país. Ali, há mais de 200 anos, as meninas já são exploradas assim que cumprem 12 anos de idade.


Ganhando menos de €10 por cliente, a cada dia seus corpos são tocados por 15/20 homens. Aos 17 anos, já têm o rosto enrugado e sem expressão, fazem uso de esteroides (normalmente utilizados para engordar vacas) para parecerem mais saudáveis ​​e vivem na extrema pobreza.


27 agosto 2017

PROFISSIONAL DO SEXO - CONSULTORIA


Todos os dias continuo recebendo mensagens com histórias de vida de milhares de pessoas tentando me comover, para no fim, pedir minha ajuda para entrar no mercado do sexo, mas sem me pagar pelos serviços de consultoria. Eu acho que deixei bem claro que estou cobrando e criei uma “palestra motivacional” onde converso abertamente tirando dúvidas sobre o mercado do sexo e fazendo o acompanhamento com eles.

Esta “brincadeira” de ser palestrante está me rendendo quase que o mesmo cachê que eu ganhava na época de michê, ou seja, se eu abrir exceções para todo mundo e ajudar gratuitamente, deixo de ganhar meu dinheiro no fim do mês. Obviamente não farei isso.  

Se quiser ser Hiago Waldeck, vai ter que estudar! 






25 agosto 2017

ESPAÇO CAIXA CULTURAL - QUINTETO PERSCH / OBRAS DE ARTE


Adoro eventos culturais oferecido pela Caixa Cultural. Hoje fui prestigiar O Quinteto Persch. Excelentes músicos fazendo um ótimo trabalho. Lindo!





Data: 24/08/2017 a 27/08/2017
Horário: 19h15
Horário da Bilheteria: Distribuição de ingressos a partir das 9h do dia do evento.
Local: Caixa Cultural São Paulo - Praça da Sé, 111.
Entrada: -
Valor do Ingresso: Entrada franca


CAIXA CULTURAL SÃO PAULO APRESENTA O QUINTETO PERSCH – PREMIADÍSSIMO GRUPO DE CÂMARA

Músicos tocarão nos 5 acordeões obras de grandes compositores brasileiros como Guerra-Peixe, Gnattali e Nazareth

Dias 24, 25, 26 e 27 de agosto de 2017, de quinta à domingo, às 19h15, a Caixa Cultural São Paulo apresenta o Quinteto Persch, cinco acordeões interpretando belas composições brasileiras. Participação especial do acordeonista e compositor Toninho Ferragutti. A entrada é franca e o patrocínio do show é da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal. 

Aproveitei a oportunidade e fui conhecer a exposição que sempre acontece no local e ficando fascinado pelas obras.










PINACOTECA - MUSEU DE ARTE


Acima, minha foto ao lado de um quadro que me encantou.

Quem pretende passar por São Paulo, não pode deixar de conferir as exposições de arte moderna no museu da Pinacoteca. Junto com as outras amostras do acervo permanente, a Pinacoteca passa a ser um museu que, com cerca de 700 obras, conta a História da Arte no Brasil do período colonial até os anos 1970.

Pode ser um programa bem chato pra muita gente, mas eu que amo arte e sou apaixonado por quadros, frequento todas as exposições existentes no mundo.





A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade. Fundada em 1905 pelo Governo do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo da cidade.

Ela está instalada no antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, que depois passou por uma ampla reforma com projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha no final da década de 1990.

O acervo original da Pinacoteca foi formado com a transferência de 20 obras do Museu Paulista da Universidade de São Paulo de importantes artistas da cidade como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino, Antônio Parreiras e Oscar Pereira da Silva. Com o passar dos anos formou um significativo acervo, com quase 10 mil obras.


Desde 2006 a Pinacoteca é administrada pela Associação Pinacoteca Arte e Cultura. Atualmente realiza cerca de 30 exposições e recebe aproximadamente 500 mil visitantes por ano.





Fotos tiradas por mim mesmo.


15 agosto 2017

PROTESTO A FAVOR DO RACISMO NOS EUA


Centenas de homens e mulheres carregando tochas, fazendo saudações nazistas e gritando palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus. Até hoje me pergunto por que pessoas de pele branca acham que são melhores que os outros. Isso devia ter sido um assunto morto e enterrado há anos atrás com Hitler.


Então você percebe que brasileiro não teve acesso a cultura, educação e informação, pois os nazistas não gostam de brasileiros e nos veem como "latino-americanos sujos e favelados", e mesmo assim existem brasileiros racistas que apoiam a movimentação e querem fazer parte do grupo. Vai entender. 

Abaixo um vídeo do Felipe Castanhari, do canal Nostalgia, que fez um desabafo que me agradou muito sobre o assunto.


Bandeiras confederadas, saudações nazistas, e membros da Klu Klux Klan tendo seus direitos protegidos por um policial negro na foto abaixo. 


Foto de um policial negro defendendo a manifestação nazista. (???). Não faz sentido!


02 agosto 2017

8 PERGUNTAS QUE VOCÊ DEVE FAZER AO SEU PARCEIRO E MELHORAR SUA VIDA SEXUAL




Mesmo que o sexo entre vocês seja bom, sempre dá para melhorar. Para descobrir como, precisa de uma conversa sincera --de preferência, bem descontraída. Afinal de contas, a ideia é atingir um novo nível de intimidade, e não ter uma DR. Para isso, que tal inspirar-se em algumas perguntas bem certeiras?

1. O que poderíamos fazer de diferente na cama?


Em vez de disparar algo como "O que você não gosta quando a gente transa?" --que, em geral, retrai e conduz a respostas pouco (ou nada) verdadeiras-- essa é uma forma sutil de levar a outra pessoa a dar dicas sobre o que precisa melhorar.

2. O que você acha excitante e te dá o maior tesão?


Essa pergunta é bacana porque abre um leque de possibilidades: o outro pode responder desde coisas do dia a dia (uma certa roupa que você usa, um jeito de se comportar etc.) ou atitudes na cama, mesmo, como uma determinada posição ou maneira de fazer sexo oral.

3. Quais são as suas fantasias sexuais?


Atnção: fantasias, no plural! O outro vai listar vários desejos e você tem a oportunidade de, entre as opções, achar (pelo menos uma, né?) algo que combine com as suas expectativas e vontades.

4. O que você aceitaria fazer que ainda não fizemos?


A intenção é abrir espaço para a pessoa revelar vontades que sonha em colocar em prática, mas que ainda tem um certo receio ou encara a fantasia como um tabu. Também é uma maneira de ver quais são os limites do par e aguçar o tesão. Juntos, vocês poderão discutir a possibilidade de fazer ou não.

5. Podemos melhorar a nossa vida sexual?


Sempre dá para incluir mais erotismo no dia a dia, por isso essa pergunta é importante. A partir da resposta, vocês poderão conversar sobre o que um espera do outro e o que podem fazer para investir em novidades, além de abordar expectativas e limites.

6. Nossa frequência sexual é boa para você?


É claro que qualidade é mais importante do que quantidade. Porém, principalmente entre casais que estão há muito tempo juntos, um acaba abrindo mão do ritmo que gosta em prol do outro. E o fato de isso não ser comentado pode abrir fendas profundas de mágoa e ressentimento na relação. Converse a respeito para encontrar uma frequência satisfatória para ambos.

7. Você se sente livre para dizer, pedir e fazer tudo o que tem vontade?


Como o desejo varia de pessoa a pessoa, o que é extremamente prazeroso para um pode não ser para o outro, e vice-versa. Se essas preferências não vêm à tona, fica difícil ter uma intimidade completa. É preciso ser --e deixar o par ser, também--  livre para admitir o que curte ou não. Caso contrário, homens e mulheres passam apenas a se contentar com as estimulações mais comuns, deixando de usufruir sensações maravilhosas por receio e vergonha do julgamento alheio.

8. Existe algo, em nossa vida sexual, que te deixa desconfortável?



Práticas como sexo oral, sexo anal e coito interrompido, embora muito usuais, não são necessariamente prazerosas para todos, só para citar alguns exemplos. Se não sabemos como o outro se sente, acabamos achando que a recusa é má vontade, egoísmo, falta de desejo e até mesmo frescura. No entanto, se conversamos sobre isso, podemos entender melhor e buscar alternativas que sejam agradáveis para os dois. E a outra pessoa pode se sentir mais à vontade para rever a causa de seu desconforto e até tentar praticar o que a aflige com mais prazer.




 Fontes Consultadas: Adelsa Cunha, psicóloga e coautora do livro “Por todas as formas do amor” (Ed. Ágora); Ana Paula Magosso Cavaggioni, psicóloga e diretora da Clia Psicologia, Saúde e Educação, de Santo André (SP); Breno Rosostolato, psicólogo e educador sexual; Ricardo Desidério da Silva, pedadogo e educador sexual, e Samara Marchiori, psicóloga e sex coach.


01 agosto 2017

AVIANCA ROUBA MINHA MALA E MEUS SEGUIDORES PROTESTAM!


Semana passada postei uma foto em meu Instagram relembrando a tragédia que a empresa aérea Avianca fez comigo, violando e furtando itens da minha mala quando desembarquei em Salvador, final de 2015. Como eu disse na época, eles não fizeram questão alguma de me dar algum auxilio e me responsabilizou por ter sido roubado, dizendo que os objetos de valores não deveriam estar na mala e sim em mãos.

Após postas a foto mostrando minha decepção com a tag #MalaNovaParaHiago, alguns dos meus seguidores foram até o perfil da empresa e usaram a tag. Resultado: eles entraram em contato comigo para esclarecimento e poder resolver o problema da mala.

Em agradecimento, resolvi enviar alguns presentes aqueles que foram invadir a página da Avianca em meu nome. Realmente, a união faz a força.


Sem palavras para agradecer o apoio da galera.



Anterior Proxima Página inicial