quarta-feira, 9 de maio de 2012

FETICHE: BOLINHAS TAILANDESAS - FALAR É FÁCIL FAZER É DIFÍCIL


Tem gosto pra tudo nesse mundo, acho que vale fazer tudo quando se está com vontade (quando se está com vontade, certo?). Bom, nem sempre tive muita escolha de opinar sobre algo com algum cliente, quando via que ele estava a fim de fazer algo diferente e que estava ao meu alcance, por que não fazer?

Já fiz várias coisas bizarras, várias mesmo e uma delas (que eu considero) foi usar Bolinhas Tailandesas. Ter cinco ou mais esferas coloridas ou pretas e brancas dentro do seu rabo para uns podem ser um enorme prazer, mas agora pra mim não tem gosto nenhum em fazer isso. Quando saí com esse cara ele resolve usar a imaginação e enfiar essas bolinhas em mim, no começo aceitei a ideia, pois achei que fosse ser uma coisa simples e gostosa, simples pode até ser, pois é só enfiar bolinha por bolinha dentro de você e pronto, agora o prazer de fazer isso não me ensinou como se faz pra sentir.

Começamos a transa assim, comigo deitado na cama e ele me perguntando se aceito fazer isso, por mim tranquilo (disse a ele), ele pega suas bolinhas (novas) e me pede que relaxe, eu com as pernas abertas estava mais parecendo que daria a luz a uma criança nessa posição que eu estava, e aos poucos ele vai introduzindo as bolinhas em mim, uma por uma. Foi difícil, pois não consegui me soltar quando ele fazia isso, me deu medo, receio, pra ser sincero nem sei o que me deu, só sei que não estava nada legal aquilo.

Foi uma, duas, três e por último a quarta bolinha entra. Maravilha, enquanto estava lá dentro ele se masturbava me olhando naquela situação que nem ao menos consegui fingir que estava gostando de tão ruim que estava. Pior quando ele foi tirando as bolinhas, quem disse que eu conseguia abrir meu cu pra que elas saíssem. Nossa, aquilo me deu um desespero de não querer sair que foi me irritando e me dando medo na hora, e se não saísse? Como eu faria com aquilo?

Depois uma por uma foi saindo, mas quando chegou à última ela agarrou lá dentro e não quis sair de jeito nenhum, ficamos um tempo nisso com ele me falando todo calmo:

– Relaxa, fica calmo e relaxe bem pra ela sair, tá?

Pra ele é fácil falar, pois não era ele que estava com aquela bolinha enfiada na bunda e sem conseguir abrir o “buraco” pra que ela saísse. O bom foi que com isso percebi que não era largo, pois se fosse, seria fácil sair (risos).

Dez minutos depois ele tira aquela porra de dentro de mim, e finalmente começamos a transar como gente e sem usar nada no meio.

Foi muito desagradável isso, ele parece ter gostado. Que bom, pois comigo nunca mais fará uma coisa dessas, a não ser que consiga me deixar bemmmm relaxado e,  pra isso, só gostando muitoooo da pessoa.


2 comentários:

  1. Já cheguei a usar essas bolinhas rs São péssimas mesmo! Isso me lembrou uma cena de uns do American Pie's, em que a mãe de uns dos personagens usa um desses brinquedos pra massagear o pescoço, isso sem saber o que instrumento é usado pra isso! HAHAHAHA Ri muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois disso, nunca mais as usei. Muito desconfortável. Rsr

      Excluir

Fala que eu te escuto