sábado, 8 de setembro de 2012

CARINHOSO: MUSCULOSO E A FIM DE NAMORO - LAMBIDAS E METIDAS FORTES

Quando me procurou pela primeira vez, demonstrou interesse em programa, apenas querer trepar e depois acabou. Só que o sentimento falou mais alto e depois de perguntar sobre preço e de todo o esquema, ele confessou que na verdade não queria sair, disse que estava carente e a fim de uma companhia para suprir com suas necessidades de carência. Acho legal quando aparecem pessoas dispostas a falar o que sente, nisso cheguei à conclusão que já saí com todo o tipo de gente: os ignorantes, educados, brutos, sensíveis e por aí vai. Depois de um bom tempo mantendo contato ele acaba soltando que me tornei especial pra ele, mesmo nunca tendo saído, e que estava com medo de se apaixonar.
Hoje foi o dia em que ele tomou esta decisão e me chamou para conhecê-lo, ele estava em sua casa com uns amigos tomando cerveja, na hora pensei que ele fosse querer uma suruba, pois se tinha marcado comigo e tendo amigos em sua casa só poderia ser isso o que queria. Mas não. Disse que os amigos só estavam lá até eu chegar, depois sairia. Meu primeiro medo foi chegar e encontrá-lo bêbado e falando um monte de merda pra mim. Antes de chegar, me disse que se caso eu não gostar dele se tinha como sermos amigos. Bobo, como se eu fosse um ser perfeito e acima de muitos a ponto de não gostar dele, o que ele imaginava é que por eu ser GP, além de lindo só saio com pessoas maravilhosas. Engano dele.
Ele é muito carente e um pouco de atenção que dei a ele foi o suficiente para sempre me ligar, mandar mensagem e assim acabar me agradando também, com seu jeitinho gostoso de me tratar.
Chegando em sua cidade, pois ele é mais um morador de Volta Redonda, ele paga um táxi pra me levar até sua casa. Me dá o ponto de referência e fica me aguardando. Quando desço do táxi, vejo um cara másculo, forte, grande, tipo, muito forte mesmo e bem gostoso. Não é exagero, mas a galera de VR (Volta Redonda) tem caprichado bem na academia, o segundo que fico e que tem o braço e o peitoral maravilhoso de tantos músculos. Enfim. Fomos pra sua casa e ele me avisa que seus amigos ainda estão lá. Já comecei a fica preocupado achando que fosse ter alguma surpresa. Suspense! Outra coisa inaceitável foi ver um cara daquele tamanho reclamando de carência, parecia comédia da vida real.
Na casa estavam dois amigos dele bebendo, foram muito bem educados e me trataram bem, e todos ali sabem que eu estava ali pra ficar com o amigo deles, é, ele é assumido pra todos incluindo a família. Ele me leva para o quarto e ficamos lá, fiquei apaixonado pelo braço daquele rapaz, com uma grande tatuagem que o deixava bem sexy. Ficamos lá enquanto os amigos ficaram na cozinha, fiquei incomodado, pois a porta do quarto estava aberta, não começamos trepando logo de cara, nos beijamos e conversamos um pouco, mas de vez em quando rolava uma mão boba pelo meu pau, e minha mão automaticamente rolava dentro de sua bermuda apertando seu pau e alisando seu cu. Seus amigos a qualquer momento poderia ver aquela cena, e nisso começo a ficar estranho e ele percebe, disse para não me importar, pois seus amigos não estavam dando a mínima pra gente ali no quarto. Foi difícil me soltar um pouco, estava gostoso, mas foi difícil.
Sabe aquela música VOCÊ É LINDA? Achei que ele fosse cantar ela pra mim, pois foi a única coisa que ele me falou durante todo o tempo que ficamos juntos: Hiago, você é lindo cara, sabia disso? Aposto que muita gente diz isso pra você, né? – Sério, passou a cada 15 minutos me dizendo isso.
Hora ele saía do quarto para ficar com seus amigos na cozinha, bebia um pouco e depois voltava. Seus amigos estavam alcoolizados e um deles passando mal, teve momentos em que pensei, por que eu tô aqui? Comecei a sentir medo e a querer sair de lá, quando ouvia seus amigos dizendo que sairia para comprar mais bebidas e bagulho eu simplesmente caguei de medo. Mas ele me tranquilizou e ainda bem que ninguém usou ali na casa. Depois quando ele voltava ao quarto pra ficar comigo, depois de me dizer que era lindo, às vezes rolava umas chupadas e apalpadas. Brincamos muito até chegarmos aos finalmente.
Seus amigos demoraram um pouco até ir embora, ele sempre me tranquilizando dizendo que a cerveja estava acabando e assim que terminassem eles iriam e ficaríamos sozinhos.
Ele tem tudo e mais um pouco de especial. O sexo com ele foi coisa do outro mundo tanto o comendo quanto dando pra ele. O comi pouco, de ladinho foi gostoso, colocando bem devagar meu pinto na sua bundinha cabeluda e muito gostosa, ele disse que rasparia, por mim daquele jeito estava bom. Quando ele resolve me comer, foi foda literalmente. Aquele amor e carinho que ele disse que queria fazer comigo não aconteceu e acabou sendo uma foda maravilhosa, me pegando com jeito e com muita, mas muita força.
Cavalgando, de lado, costas, frango assado e muito mais formas de sentir prazer com ele me fudendo. Ele estava virado, pois passou a madrugada em uma festa, estava cansado e quando pegava o embalo de me fuder com força, parava para descansar. Acabei dando um desconto, puto, mas dei, estava muito bom. Das vezes que ele chupava meu cu era melhor ainda, nunca alguém tinha me chupado daquele jeito, os outros parecem que chupa com má vontade, ele não, me chupou com tanta força que chegou a machucar e matar de prazer. Isso comigo sentado na cara dele ou com as pernas levantadas como se fosse um bebê com as pernas pro alto para que troque a fralda. Enfiava a cara no meu cu, chupava e lambuzava.
Quando ele entrelaçava seus braços fortes por trás de mim prendendo meu pescoço enquanto me comia me senti violado, exatamente o que queria, mordidas e tapas na bunda que por sinal ele adorou por estar grande agora. Ele me excitou tanto que até quando dava mordidas na minha cabeça eu gemia de tanto tesão que sentia com ele por cima de mim. Tivemos um tempo em que ficamos como namoradinhos, com ele me pedindo em namoro e dizendo que não aceitaria um namorado saindo com outras pessoas, ele realmente seria uma pessoa bacana e bem safada pra se ter algo, a todo o momento me chamando de meu amor ou (mô). Dizendo ter gostado de me conhecer. Ficamos um bom tempo abraçados, cochilando, acordando e transando, me senti tão feliz ao lado dele, que acho que aceitaria numa boa seu convite de namoro. Antes mesmo de nos conhecermos ele fez questão de me apresentar via fone a sua prima, queria que falasse comigo e já dizendo ser namorado.
Como todos já sabem dele, não tem o porquê esconder ou deixar de fazer algo na frente dos outros. Quando uns dos seus amigos estavam lá na casa, me beijava e me agarrava na frente dele, sem nenhuma vergonha. Sem contar que quando estavámos no quarto nos pegando, seus amigos o chamavam, ele puto acabava indo. Fizemos uma coisa meio na "calada" pra não ouvirem, nessa hora a porta estava fechada. Mesmo assim fiquei sem graça.
Teve momentos tipo: MINHA VIDA EM DEZ MINUTOS foi quando ele me trouxe todos seus álbuns de fotos me mostrando todas as pessoas de sua família, ex-namoradas, amigos e tudo mais que tinha direito de saber sobre ele.
Na hora de ir foi complicado, eu não queria me desgrudar dele, estava bom demais pra querer sair de perto. Ele queria que dormíssemos juntos, mas não daria.

2 comentários:

  1. Nossa, que conto maravilhoso, parece um sonho...
    Mas, voce, despois de terminado o programa com ele, não se apaixonou? O que rolou depois?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é maravilhoso e com certeza estou encantado por ele. Só que relacionamento tem que se conversar e muito, coisa que não deu tempo de fazer pois estávamos muito empolgados.
      Acaba de entrar em contato comigo, tá dodói e queria me ver.

      Excluir

Fala que eu te escuto