sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

COM UMA AMIZADE DESSAS, QUEM PRECISA DE INIMIGO?

 
 



Houve uma época em que se poderia dizer que eu era mal-amado, gostava de ver a desgraça dos outros, mas com motivos: era quando ainda morava em outra cidade e que todos gostavam de tomar conta da minha vida, daí quando acontecia algo ruim com a tal pessoa, pulava de alegria como se tivesse pagando por algo que tenha feito contra mim. Hoje em dia percebi que perdi boa parte do meu tempo em tomar conta da vida daqueles que queriam ver meu mal, hoje tomo de lição o que vivi no passado, mas a raiva continua hoje em dia quando vejo certas coisas acontecendo a minha volta.

Não tem como fugir de gente chata, falsa, traíra, egoísta, etc... Estão em todos os lugares inclusive, dentro de casa, hoje não eu, mas meu amigo passou por uma situação de traíragem que acabou me deixando muito irritado com o traidor (ou traidora), sim, eu tomei as dores, pois o (a) traíra chegou a ser uma pessoa que me tratou muito bem (pela frente), mas por trás, está lá, tentando ferrar com todos querendo talvez, chamar a atenção.

Cara, não sou certo em tudo o que faço, mas quando digo que sou seu amigo, pode apostar que sou, mesmo que nem todos os dias te ligue (é meio ruim, pois são mais de 250 pessoas em minha agenda) ou até mesmo te mande um e-mail (piorou, recebo tantos que fica difícil de achar o de algum conhecido) não quer dizer que deixei de gostar ou de ter o respeito, tem muita gente que acha que a amizade se baseia nisso, em ligar e falar todos os dias, mas nem precisa tanto. Mas o que mata de verdade são pessoas que se dizem amigas e depois se mostram quem são de verdade. Detestei o que houve entre esse meu amigo e essa outra pessoa, aconteceu algo que nem a desrespeitava e mesmo assim, se achou no direito de se meter e trair a “amizade” dele.

Achei que eu tivesse me afastado de todas as amizades ruins, mas vejo que ainda tem muita faxina pra fazer na minha vida!

OBS: senti um alivio tão grande depois que me afastei de meus “amigos”, de vez em quando me esbarro com um aí na rua, finjo que nem conheço, pra mim não valem nada, mesmo. Já sim, tiveram um valor muito importante na minha vida, mas que acabou, hoje em dia enquanto na vida eu subo, eles e outros falsos amigos, na base do recalque, caem mais ainda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto