quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

3º DE 365 DIAS: PARATY vs MAMBUCABA

Cinco lugares diferentes em um mês é pra causar inveja a muita gente. E causa, né? Minha rota agora foi uma cidade que desde pequeno sempre ouvia falar nas novelas, que é Paraty. Eu sempre disse que um dia iria visitar a cidade, mas dizia isso sabendo que no fundo isso nunca iria acontecer. De repente sair de casa e acordar numa vila história cheia de coisas para contar é fascinante e intrigante. Achei a cidade muito acolhedora, pessoas educadas a fim de contar a história da cidade, nos tratando bem, sempre com um sorriso no rosto. Enquanto estava na cidade tirando fotos e postando, estive recebendo algumas críticas do local, de pessoas dizendo que Paraty é um péssimo lugar para se visitar por não se ter nada pra fazer. A pessoa fala mal da cidade como se Resende fosse a melhor cidade do mundo para se morar e visitar. Conhecer uma cidade histórica está muito além de visitar boates e ficar em barzinhos tomando pinga. O que tira um gringo de sua cidade para ir nestes lugares, não é só diversão, mas sim a  cultura e história que a cidade tem pra contar, e nos informar de toda sua riqueza histórica acaba nos deixando ricos de sabedoria, nos fazendo dar mais valor numa rua cheias de pedras centenárias do que luzes piscando em alguma balada. A pessoa que diz não gostar de Paraty ou qualquer outra cidade histórica, com certeza é alguém ignorante, pobre de cultura.

O ruim do lugar é que as praias são sujas e, por isso o banho é proibido. Ou quase. Teve gente que arriscou entrar na água (eu fui um deles). Perguntei para uma gringa que estava na areia sobre as condições da água e ela disse que dá para tomar banho. No que vi centenas de famílias e estrangeiros na água, resolvi entrar. Já sou feio, se for de nascer outra perna em mim, vai ser lucro hahaha.










Em Paraty conheci o 3° de 365 dias. Ele se chama Geraldo, um cara todo grande, não musculoso, um pouquinho acima do peso, mas que caiu muito bem todo aquele tamanho nele. Simpático e com uma bunda enorme, curtia de tudo, mas estava a fim de ser passivo. O que mais me agradou nele foi sua covinha no queixo, um diferencial nas pessoas que me atrai muito. O sexo estava intenso, mas depois eu acho que ele esfriou, porque começou a sentir dor quando o penetrava. Com ele minhas fantasias rolaram soltas, tive vontade de mijar nele, e ele aceita, se agachando e segurando meu pinto enquanto urinava. Diz ele que fui o primeiro a fazer isso, e pelo jeito, ele gostou. Ele queria tirar foto minha, mas não deixei. Mas acho que bem tirou escondido.
Lado Bom: Rolou química boa entre a gente. Combinamos de sairmos dia seguinte, mas não deu.
Lado Ruim: Ele morava um pouco afastado de onde eu estava hospedado, já eram 5hrs da manhã e eu estava cansado.
...
Como estava perto de Angra, resolvi dar uma passadinha na região e aproveitar o mar sem me preocupar com sujeira. Tinha visto alguns conhecidos postando nas redes sociais que estavam na cidade, então, para não cruzar com eles, fui para Perequê, em Mambucaba (nunca sei se Mambucaba é nome de praia ou bairro), num condomínio que tem ali por perto, onde os que trabalham na usina moram. Ali foi a primeira praia que fui na vida, quando na época tinha sido levado pelo Rei, que me levou para conhecer. Ah, o lugar acabou me marcando, foi a primeira vez que vi o mar. Lindo! Estava num lugar lindo com alguém que eu gostava. Mas é passado, agora só gosto do mar hahaha.







Na boa, eu devo ter dançado pole dance na cruz para merecer ter que aturar tanta gente estúpida reclamando de mim. Minha ida à Paraty mais uma vez causou revolta. Pessoas não conformadas ficaram indignadas por eu estar viajando tanto e gastar um dinheiro que é meu. Pessoas que estavam a fim de fazer o mesmo e não podem. Andaram comentando que não é possível eu ter tanto dinheiro assim pra poder gastar com viagens. Olha o papo do povo!!!! Daqui a pouco vão dizer que fiz um pacto com o diabo. Agora entendo o que a Xuxa passa hahaha. Se você tem alguma coisinha o povo implica, e isso, pois todo mundo sabe o que faço. Ou será que fiz um pacto??? Gente besta!
Uma pessoa próxima e não conformada comentou que se eu tivesse dinheiro, teria comprado carro, moto, etc... Aí é demais! Querer mandar no meu dinheiro e dizer o que tenho que fazer ou não só pra provar que eu tenho ou não. Dá pra entender? Uma verdade que o meu amigo João disse: “Imagine quando fizer uma viagem internacional, como vai ser a reação deles”. Eu só estou aproveitando, coisa que não fiz ano passado.

Minha intenção agora é ir visitar uma ONG chamada Casa Hope, onde acolhem crianças com câncer e que não tem condições financeiras para tratamento e recebem toda ajuda lá. Depois disso, pretendo ir um pouco mais longe, pensando em Foz do Iguaçu ou Buenos Aires. E seja o que Deus quiser.

Um comentário:

Fala que eu te escuto