quarta-feira, 11 de junho de 2014

DON’T CRY FOR ME ARGENTINA – BUENOS AIRES: HIAGO INTERNACIONAL

Don’t cry for me Argentina! É nesse espírito de alegria que me encontro hoje. Argentina, quem diria. Cheguei ontem num voo tranquilo, com apenas um pouco de medo por ver a asa do avião balançando tanto. Teve momentos que fiquei tonto, mas acho que era o medo com a ansiedade de ser internacional logo. A minha primeira impressão da cidade foi ruim. Achei todos um pouco preconceituosos com brasileiros, sem contar que, a maioria sempre emburrados, como se estivessem incomodados com sua presença no local. Fiquei chateado, e se dependesse de mim, iria embora pra casa ontem mesmo. Teve um momento que estava perdido num parque da cidade, foi quando um policial se aproxima e me diz para tomar cuidado, pois ali onde eu estava era perigoso e eu poderia ser assaltado. Pelo que soube depois, aqui tem muitos “batedores” de carteiras.







Fiquei perdido em relação ao dinheiro. Se eu tenho 100 reais, aqui valeriam 300 pesos. Pensando dessa forma, você acha que está rico na cidade. Mas, não. Fui num lugar tomar café, pedi o cardápio e não entendi nada do que estava escrito! Pedi bolo ao garçom e ele me trouxe dois salgados. Eu não sabia como se chamava bolo aqui na cidade. Cem dólares que você faz a troca por pesos, acaba valendo mil pesos. Em um dia você gasta isso brincando. Um salgado com um copo de suco sai na faixa de 85 pesos. Comida entre outras coisas, sai por 200 ou mais pesos. Vendo isso, você percebe que a grana não vale nada. É estranho, falta de costume com a moeda dele.. Já vi que ia passar fome haha. Tinha saído, fiquei perdido e não sabia voltar para o hotel. Perguntei para várias pessoas e eles não souberam me responder, pois não conhecia. Horas depois acabei achando o caminho de volta, estava muito cansado por andar tanto. Por sorte, acabei conhecendo um brasileiro que está hospedado no mesmo hotel que eu. Ainda na portaria, ele estava pegando o elevador e me pergunta se eu ia subir. Nossa, fiquei muito feliz por ter encontrado um brasileiro aqui. Acabamos fazendo amizade, á noite saímos para ele me mostrar a cidade, comemos e no fim, acabei dormindo no quarto dele. Ele está aqui há mais tempo que eu, também veio a passeio e vai embora daqui uns dias. Bom, ele não tinha conhecido ninguém aqui, então, acabei encontrando (e ele também) um parceiro para sair e passar a noite.



Hoje teve o passeio com meu guia e um grupo de pessoas pelos locais mais frequentados aqui. Conheci os bairros que eu estava querendo conhecer a tempos, inclusive o Caminito, que além de bonito, é muito perigoso. Comprei muitas coisas, uma delas foi Alfajor e champanhe, o que estou comendo e tomando agora. No passeio, conheci um casal de Varginha, Minas Gerais, que estão passeando por aqui. Mais um motivo de eu ficar feliz, pois o casal, tanto ela quanto ele, são muito educados e acharam ruim aqui na cidade as mesmas coisas que eu achei, por exemplo, a parte do dinheiro, que você acha que vale muito, mas na verdade é pouco. Não sabia que sentiria tanta falta do Brasil assim. Juro, estou morrendo de saudades de casa.

Algo inevitável foi todos me perguntarem aonde irei ver o jogo do Brasil. Eu respondia que não iria assistir e eles ficaram impressionados. Na verdade, torço pra Argentina e concordo que Maradona é o melhor do mundo. O Pelé nem como pai foi bom, imagine como jogador.




Disseram que Eva Perón ainda é odiada, e que os argentinos detestam a música interpretada pela deusa Madonna.

Achei linda esta foto que tirei. 


4 comentários:

  1. Foi sem mim:( :(

    Kkkk boa viagem ai mlk!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mas a gente pode ir juntos da próxima vez.

      P.S: quem é você? hahaha

      Excluir
    2. O mesmo cara q disse q seria legal ir pra la ha algum tempo hehe

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

Fala que eu te escuto