23 agosto 2014

MUSEU DE DUAS RODAS


O número 79 chega dando ordens e dizendo que não pode se envolver em um caso mais profundo, pois ele é casado e com filhos. E olha que, eu nem tinha perguntado a ele. Deu a entender que, nós, profissionais do sexo, somos pessoas carentes e que necessitamos de alguém para nos completar. Sim, um pouco disso pode ser verdade, mas isso não queria dizer que estamos sempre carentes e pedindo em casamento todos os clientes que temos durante o dia. No meu caso, estou sendo simpático, e não dando mole pedindo oportunidade pra namoro. Depois de engolir a seco esse papinho besta, acabamos partindo para o sexo. Algo normal, arroz com feijão (e sem nenhum pedaço de frango pra dar um gosto diferente). Para alguém que se diz ativo e insaciável, ele estava com seu apetite sexual bem fraco. Depois que ele goza, acaba se afastando de mim, meio que, com pressa para vestir suas roupas e ir embora. Enquanto eu, continuava deitado na cama me masturbando sozinho. Ele vendo que havia alguém do seu lado se masturbando, será que custava dar uma mãozinha pelo menos? No caso dele, acho que, sim. Depois de tomar banho, me arrumo, pois tinha planos de conhecer um museu de motos antigas que tem na região. Quando comentei com ele, veio o espanto: “por que não me chamou pra ir com você?”. Não entendi. Ele deixa bem claro que não estava a fim de nada sério, que seria apenas trepar e nada mais e, depois me cobra por não tê-lo convidado para ir comigo ao museu. Ele estava louco. Só pode!

Sem um pingo de peso na consciência, saio de casa e ligo para o táxi me buscar. Fui conhecer o Museu Duas Rodas. Pra quem curte motos e coisas antigas, está no lugar certo. Não sou APAIXONADO por motos (até perdi um amigo em acidente), mas falou em raridade e coisas antigas ­(museu em geral), é comigo mesmo. São tantas variedade e coisas absurdas. Quase inacreditável de se achar que, alguém nesse mundo, andava em certos tipos de motos, há mais de 50 anos atrás. Cada coisa diferente que, nunca pensei que pudesse existir. Interessante, pude ver alguns modelos de motos, bicicletas e triciclos infantis. Alguns parecidos com aquele que o boneco do filme Jogos Mortais anda, sabe? Curto história. Me faz aprender sobre coisas e épocas que eu não tinha nascido.





Aprendo muito em cada vez que vou a algum lugar assim. Mas, claro, nada se compara com a emoção que eu senti quando vi um quadro pintado por Van Gogh e Renoir no Museu Nacional de Bellas Artes em Buenos Aires. Foi uma emoção e tanta. 

Eu em Buenos Aires - Museu Nacional Bellas Artes- Quadro de Van Gogh



Anterior Proxima Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto