segunda-feira, 13 de outubro de 2014

SIMPLESMENTE FELIZ!



Era um fim de semana que tinha tudo para eu ficar em casa, mas o calor de mais de 40 graus em minha cidade estava me matando. Estava saindo da lavanderia quando ligo para o motorista me buscar e me levar em casa. Quando me dei conta, estava à caminho de Angra dos Reis, um paraíso aqui no Brasil que eu amo muito e há muito tempo não ia pra lá. A temperatura em Angra estava mais baixa, mesmo assim deu pra curtir uma praia e pegar um bronzeado. Estava precisando me lavar com água do mar, me sinto até mais jovem ao mergulhar em Angra, que me faz muito bem. O motorista que me levou acabou ficando em Angra, dormindo por lá, para que no dia seguinte ele pudesse me trazer de volta. Ah, entre pegar ônibus e ir de carro, prefiro o carro, então, achei muito bom ele ter ficado na cidade pra me trazer dia seguinte. Isso sim é um serviço completo!


À noite, acabei saindo e fazendo uma caminhada pelo calçadão da praia, e como não é nenhuma novidade, acabei conhecendo o nômade. Carinhoso, bonito e muito louco. Um garoto de 22 anos e com muita experiência de vida. Acabei me identificando muito com ele, pois sua historia de vida é parecida com a minha. Rejeitado pela família e humilhado por alguns, ele decidiu cair na estrada e viajar. Cada um tem sua maneira de lidar com problemas do dia a dia. Uns fumam, outros bebem, tem àqueles que vão para psicólogos e outros que viajam, e foi exatamente isso que ele fez, caiu na estrada, conhecendo um pouco de cada lugar, pedindo carona nas rodovias. Senti um pouco de inveja, pois sua vida hoje em dia, é exatamente o que eu tinha em mente pra minha. Minha vontade foi de largar tudo e ir com ele, seguir viagem nesse mundo, pedindo carona nas estradas, correndo risco e sentindo adrenalina. Ele tinha perdido o ônibus para Belo Horizonte e acabou ficando na rua, ficaria esperando por 9 horas até o próximo, foi nesse tempo que o conheci.

Eu já dormi na rua, não é nada legal isso. Muitos sabiam, mas ninguém ajudou. Pensando nisso, eu, como alguém que já passou aperto, não poderia deixá-lo dormir na rua. Não iria me sentir bem com isso sabendo que tive a chance de ajudar e não fiz nada. Acabei o convidando para dormir no mesmo lugar onde eu estava hospedado, fiz questão disso. Ele descansaria melhor pra seguir uma longa viagem no dia seguinte. Em um momento ele me pergunta: “Por que você está fazendo isso por mim, alguém que você nem conhece”? Eu fui bem claro quando disse: “Tô fazendo por você exatamente o que eu queria que tivessem feito por mim quando precisei”. Minha consciência me fez agir assim. Passamos à noite nos conhecendo melhor, conversando muito e trocando experiências. Dia seguinte ele foi embora, mais uma vez me agradecendo pelo meu gesto. O sexo que rolou entre a gente foi espontâneo. Não o chamei para dormir no hotel para ter em troca sexo dele, e ele não aceitou dormir comigo e se sentiu obrigado a me pagar com sexo. É muito bom conhecer pessoas novas, e agradeço muito a Deus por sempre aparecer pessoas boas em meu caminho, a cada viagem que faço.

Ele tem o mesmo pensamento que eu sobre a vida. Tudo que acontece, sendo ruim ou bom, tinha que acontecer, estava escrito pra que fosse daquele jeito. Ele ter cruzado meu caminho, estava predestinado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto