terça-feira, 2 de dezembro de 2014

TAUBATÉ - SP: PÉ NA ESTRADA E MUITO SEXO


Ontem acabei indo dar uma passadinha por Taubaté e acabei saindo de lá muito satisfeito. No fim da tarde de ontem estava chovendo muito aqui em Resende. Acabei ficando ilhado na rua enquanto ia até um ponto de táxi para fazer minha viagem. O taxista que me levou me chamou de “louco”, ele percebeu que tenho o espírito aventureiro e ficou admirado com isso. Eu até confessei a ele minha vontade de ser caminhoneiro, só para poder conhecer todas as cidades. Só não investi nessa carreira, pois sou muito distraído. Mas minha vontade era só pelo prazer de cair na estrada e conhecer lugares. Se bem que, não me tornei um caminhoneiro, mas não fiquei longe da minha vontade de conhecer o mundo. Acabei fazendo isso por outros meios.

Chegando em Taubaté, desci na rodoviária, pois ficaria mais fácil de me deslocar para onde eu queria ir. Perguntei a um rapaz como faria pra chegar até o centro da cidade, e ele na boa vontade acabou me dando uma carona até lá, pois era caminho dele. Resumindo: foi um dos melhores boquetes que recebi! O cara começou a se insinuar pra mim, não perdi tempo e coloquei a mão na sua perna e fui o acariciando. Ele revida e tira meu pinto pra fora e vai me masturbando enquanto dirige. Paramos numa rua escura onde ele encosta o carro e me faz um boquete. Ele parecia um camaleão, pois se adaptava de acordo com o ambiente, naquele caso, de acordo com as minhas vontades. Naquele momento ele parecia um garoto de programa a fim de satisfazer seu cliente, acabou percebendo algumas coisas que eu curtia e fazendo comigo. Tapas na cara, falava muita besteira enquanto eu o chupava, ele imaginava situações de mais pessoas transando com a gente e até me batia quando me dava uma ordem e eu não cumpria. Foi perfeito! Apesar de eu não ter gozado, me senti muito atraído pelo seu jeito, exatamente o que estava procurando. Às vezes as pessoas sabem do que a gente curte, mas acaba não agindo de forma natural quando vai realizar uma fantasia e isso acaba desanimando um pouco. Ele, sim, soube dosar da forma correta e me dar o prazer que eu queria sentir.

Depois dele, acabei indo para um encontro. Um estudante, tinha acabado de sair da faculdade quando nos encontramos. Um cara bonito, safado, mas não encheu meus olhos como o anterior. Eu gosto de lugares isolados, meio que em público. O lugar que ele havia me levado era excitante, mas não fiquei à vontade. Eu senti a adrenalina de pular um muro e ir para os trilhos de um trem, ao lado da rodoviária velha da cidade. Foi tenso, apesar de eu gostar disso, fiquei desconfortável. Comecei um boquete nele, que estava despreocupado se iria ou não aparecer alguém ali. Eu, pelo contrário, olhava para todos os lados com medo de aparecer polícia no local e minha cara ficar estampada no jornal local da cidade. Tinha outro casal trepando quase próximo da gente. O local era fervido, mesmo! Ele tem o corpo bonito, todo depilado na frente com a bunda cabeluda. Achei interessante isso. No fim peço a ele que goze em minha boca para que possamos ir embora, e na volta, vamos nós novamente pular o muro para sair.

O terceiro e último da noite foi o teen. Desculpe, mas não me agradou em nada. Eu gosto de homem, sabe? Voz de homem, jeito de homem, etc... Ele deixou um pouco a desejar, principalmente quando passamos numa rua onde havia uma barata na parede e ele se desvia da barata como no filme Matrix, mas no caso dele, de um jeito beeeem gay. Não senti tesão, mas acabei ganhando meu cachê (nem sei como) mesmo sem rolar nada. Ele apenas me deu uns beijinhos e umas apertadas no meu pau.

 Percebi que o pessoal do estado de São Paulo gosta muito de um carioca. Fui muito bem recepcionado (e desejado) pelo povo da cidade. Sempre recebendo elogios, ouvindo me dizerem que, apesar da fama que eu tenho, sou uma pessoa simples. Diferente de alguns garotos da cidade, que são lindos, maravilhosos, mas não são educados e sem um pingo de cultura.


Na volta pra casa, eu tentei colocar minha humildade em prática e voltar de ônibus, mas não deu. Eu havia esquecido de levar meus documentos, o que seria preciso para apresentar na hora do embarque, e por isso, não pude comprar minha passagem. Pra mim não foi problema, acabei voltando de táxi de novo. Cheguei tarde em casa, mas muito feliz!

 Fique por dentro sobre meu livro. Link: “O Diário Quase Secreto De Um Garoto de Programa” e saiba como fiz para me tornar garoto de programa e alcançar os melhores clientes.

E agora na versão digital pela Amazon. Link: "Livro do Hiago, versão eBook"



2 comentários:

  1. Pessoas normais sao MORTAR ao pegar carona com estranhos....Vc recece uma chupa bem no.....amigo cuidado essas sorte de ta vivo nao acontece duas vezes.....#garotainfernal

    ResponderExcluir
  2. bicha louca fuma crack

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto