segunda-feira, 31 de agosto de 2015

CABO FRIO / ARRAIAL DO CABO - VIVER OU ACUMULAR?


Não vejo a viagem pra mim como algo luxuoso, mas sim uma necessidade de sair, conhecer lugares e pessoas diferentes. Como todos sabem, desde pequeno sempre tive o sonho de sair pelo mundo e conhecer culturas diferentes, coisas que só tive a oportunidade de fazer depois de me tornar garoto de programa. Viajar é lavar a alma e aprender com o mundo. Mais uma vez retornei a Arraial do Cabo. Um dos meus lugares prediletos no Brasil. ( Veja fotos no meu Instagram).



Tenho muitos amigos com dinheiro que não conseguem gastar com seu lazer. Acham que com esta crise que o Brasil enfrenta, eles podem sair prejudicados, mesmo sendo pessoas com um poder aquisitivo muito alto. Ok, entendo e respeito a decisão deles. Eu também não pretendo voltar a passar fome, por isso tenho minhas reservas e administro muito bem meu dinheiro para que eu não o perca. Tendo uma vida instável, não vou ficar pobre por viajar.

Isso me faz lembrar de uma história que eu acho linda, de um rapaz que deixou tudo de lado pra ser feliz viajando.


VOCÊ VIVE OU ACUMULA?


 Um jovem advogado foi indicado para fazer o inventário de um senhor recém falecido. O homem não tinha herdeiros ou parentes vivos. Suas posses eram muito simples. O apartamento alugado, um carro velho, móveis baratos e roupas puídas.
O advogado surpreso, pensou: “Como alguém passa toda a vida e termina só com isso?”
Então, anotou todos os dados e, ia deixando aquela casa, quando viu um porta-retratos sobre um criado mudo. Na foto estava o falecido, ainda era jovem, sorridente, ao fundo, um mar muito verde e uma praia repleta de coqueiros. À caneta estava escrito bem de leve no canto superior da foto: “Sul da Tailândia”.
Surpreso, o advogado abriu a gaveta do criado e encontrou um álbum cheio de fotografias. Lá estava o homem, em diversos momentos da vida, em fotos de todo o canto do mundo.
Na última página do álbum havia um mapa de quase todos os países do planeta marcados com um asterisco vermelho, indicando por onde o homem tinha passado. Escrito à mão na altura do meio do Oceano Pacífico tinha uma pequena poesia que dizia: “ Não construí nada que me possam roubar. Não há nada que eu possa perder. Nada que eu possa trocar. Nada que se possa vender. Eu que decidi viajar. Eu que escolhi conhecer. Nada tenho a deixar porque aprendi a viver”.

LIÇÃO DE VIDA:

Tem gente que passa a vida acumulando coisas materiais e se esquece de viver. Se esquece de ser feliz.


Um comentário:

  1. Hiago me passa seu whatsapp.. perdi seu contato.. sou layo de Búzios. . Acompanhando do blog

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto