quarta-feira, 12 de agosto de 2015

O PESO DA IDENTIDADE SECRETA

A pior coisa da profissão é ser obrigado a fazer tudo às escondidas, viver uma vida dupla por causa da proibição, do estigma e do preconceito.

Eu realmente gosto do que faço. Tenho tesão em transar com estranhos, curto a adrenalina de sair de um quarto e ir para o outro e degustar o que me espera. Quero fazer sexo todos os dias. Eu gostaria de poder falar para todo o mundo o que eu faço, mas, na sociedade em que vivemos hoje, isso não é possível. .
Enfim, é difícil que a família e os amigos apoiem ou mesmo entendam essa escolha, então, a maioria dos garotos de programa precisa ser como um agente secreto – o que pode dificultar bastante a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto