03 junho 2016

O RETORNO. SERÁ?


Eu sempre achei que quando conseguisse juntar uma quantia alta em dinheiro eu poderia parar de fazer programas e de trabalhar. Afinal, quem não sonha em ter uma vida de “madame”? Eu estava enganado. Meu padrão de vida é muito alto e para não perder as mordomias que eu estou acostumado, tenho que continuar trabalhando, mesmo se for para ganhar um salário mínimo. É apenas para complementar o que eu já tenho. 
 Assim que decidi sair de Resende para morar em São Paulo, eu escolhi a pior época para fazer essa mudança, pois estamos em tempos de crise e o Brasil está afundando a cada dia. Até os meus amigos profissionais do sexo andam reclamando que o movimento está caído e que não estavam ganhando como antes. Nos cincos primeiros meses que estou em São Paulo, abandonei a prostituição e resolvi procurar emprego em qualquer área. Mesmo distribuindo currículo de loja em loja e espalhando pela internet, está difícil de arrumar emprego e eu preciso fazer algo para continuar gerando renda.

Esses dia estava pela rua e me entregaram um panfleto com a seguinte frase: “Aqui você se diverte com apenas vinte reais”. Era o anúncio de uma casa de garotas de programa. Levei este folheto pra casa e fiquei me perguntando se era isso que eu precisaria.


Será que eu devo voltar a fazer programa? 






Anterior Proxima Página inicial

3 comentários:

  1. Como pensa em voltar sendo que está namorando?

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto