31 março 2017

SAGRADO E PROFRANO: MINHA EXPERIÊNCIA NO SEMINÁRIO


Recebi algumas mensagens de pessoas me parabenizando pela minha atitude em ajudar o próximo. Já outros me criticando como se fosse uma jogada de marketing. Não importa. Quem conhece minha vida sabe que eu gosto de ajudar.

Pensando nisso, resolvi comentar sobre quando eu havia ido a um seminário para ser padre, fazer votos de pobreza e ajudar o próximo. Sim, eu tentei ser padre, e foi quando dei um tempo na prostituição.


Quando pequeno eu sempre frequentava com minha mãe aquelas novenas de fim de ano, cada dia numa casa diferente. Sabia todos os cânticos e orações à Virgem Maria. Com o passar do tempo, eu achei que tivesse ouvido o chamado de Deus me convocando para ser padre. Eu tinha certeza do que queria. Eu queria ser padre e entrar num seminário.
Minha primeira tentativa foi quando minha mãe faleceu, fiquei sem chão e meio perdido (relato isso em meu livro). Mas não deu certo. Por telefone eles perceberam que eu estava a fim de seguir a carreira não por vocação, mas por eu ter tido uma grande perda.
Minha segunda tentativa, há uns anos atrás, foi na Toca de Assis (minha primeira tentativa foi com eles também). É um lugar aonde a primeira coisa a ser feita são os votos de pobreza, ou seja, se eu tivesse conseguido ficar lá, não teria e nem poderia estar rodeado de luxo. O lado bom seria a parte de ajudar o próximo, como vejo várias vezes pessoas deste grupo fazendo com os moradores de rua. Entrei para o seminário depois de muita lábia, pois para isso você tem que ter um “registro” de que segue a igreja, faz parte da paróquia, etc... coisa que eu não tinha. Entrei para fazer um experiência vocacional e para saber como seria minha atitude dentro do seminário. Era para ter feito uma experiência de trinta dias, mas com quatro dias eles me convidaram a se retirar rs. Fui expulso!

Ah, teve alguns acontecimentos, mas o principal foi de eu não ter vocação. Além dos superiores perceberem que meu passado era negro, eles perceberam um pouco do meu jeitinho “nojento”. Resumindo: não iria conseguir deixar de transar e menos ainda esbanjar dinheiro que tanto gosto. 

Quando você entra para um lugar assim, você realmente entra focado em estudar e se tornar padre. Mas ver seus amigos seminaristas acordando de pau duro (instinto de todo homem) era algo instigante. No seminário acontece muita coisa proibida que muitos praticam, mas que permanece em segredo.

Eu já tive experiência sexuais com pastor, padre, seminarista e até satanista, mas isso é assunto para outro post.

Anterior Proxima Página inicial

Um comentário:

Fala que eu te escuto